fbpx

Todos os dias, duplinha se abraça quando chega na escolinha e nos ensina sobre amizade

A vontade de abraçar o amiguinho é tamanha que um corre em direção ao outro com os braços abertos.


escolinha-crianças-abraço
PUBLICIDADE ANUNCIE

Os pequenos Lucca e Cecília ainda nem completaram dois anos. Porém, apesar de novos, sabem como poucos o significado de um abraço sincero – e bem apertado! É assim todos os dias na escolinha de ensino infantil que os dois – ambos com 1 ano e dez meses – frequentam, em Sete Lagoas (MG).

A vontade de abraçar o amiguinho é tamanha que um corre em direção ao outro com os braços abertos. Depois, Lucca e Cecília, como de costume, caminham para a sala deles de mãos dadas.

E tem coleguinha novo querendo se juntar aos dois. “Todos os dias eles se encontram assim e já começou outro amiguinho recepcioná-lo da mesma forma. Amor contagia, né?”, disse a mãe de Lucca, Adriana Braga, ao Razões para Acreditar, toda orgulhosa da sua cria – e razões não faltam!

É assim que minha amiga CECÍLIA me recebe todos os dias! 😌#AindaBemQueSóVouCheiroso

Uma publicação compartilhada por Meu nome é Lucca 👶🏻 24•05•16 (@meunomeelucca) em

“Podemos aprender com estes gestos, coisas simples e significativas, como estar naturalmente para o outro, não necessitando para isso de bens materiais. Basta estar apto a pedir e dar um abraço, sem vergonha de parecer carente ou oferecido. Esta é uma forma mais natural, simples e perfeita de demonstrar afeto que não custa nada e tem um valor enorme!

escolinha-crianças-abraço
Não tem tem aguente tanta fofura junta!

Em casa, o carinho se repete, todas as noites. Adriana conta que, antes de dormir, Lucca pede abraço dela, do pai, Luiz, e da irmã, Luiza, de 12 anos – e arrebata o coração de toda a família com uma palavra simples e poderosa, ao pé do ouvido: “Amo”.

Quer conhecer mais de pertinho o Lucca? Ele tem um perfil no Instagram – administrado pelos pais –, onde compartilha seu dia a dia: em casa, na escola e nos passeios – ele adora roupinhas de super-heróis – com a família. A risada dele é das mais gostosas – difícil não sorrir junto! Isso sem falar que o pequeno ama os animais, especialmente as galinhas – não pode ver uma, que já quer por debaixo do braço e levar para casa.

Os pais tiveram a ideia de registrar o crescimento de Lucca quando ele ainda estava no hospital, logo depois de ter nascido. É que a mãe, Adriana, teve uma hemorragia durante o parto, que a deixou na UTI por 5 dias – não podia ver, muito menos segurar Lucca. Triste com aquela situação, o pai de Lucca decidiu filmar o filho quatro vezes por dia, para que Adriana soubesse que estava tudo bem com ele – com isso, ela poderia se concentrar na sua recuperação.

“Desde a nossa saída do hospital, agradecemos diariamente à vida e fomos percebendo dia após dia como Lucca é um menino feliz. Já sorria com gargalhadinhas com 2 meses. Dá bom dia, despede-se das pessoas, chama todo mundo de tia e tio, vai no colo de todo mundo sem nunca ter visto. Chora quando as pessoas se despedem dele”, conta Adriana.

“É impossível ir acumulando momentos como esse e não compartilhar, para dividir com as pessoas esses momentos espontâneos.”

Olha só:

Se eu fosse você veria até o fim!😂#BruxaDeBlairParaBebês #EitaPapai

Uma publicação compartilhada por Meu nome é Lucca 👶🏻 24•05•16 (@meunomeelucca) em

PUBLICIDADE ANUNCIE

Crédito de Imagens: Arquivo pessoal – Adriana Braga

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar