fbpx

Ela provou que amava o marido cuidando dele até seu último suspiro

“Sinceramente, eu não acho que ‘interesse’ resista a 10 anos de cuidados e dedicação”, afirma a filha do casal.


ela provou amava marido cuidando dela último dia
PUBLICIDADE ANUNCIE

Houve quem dissesse que José Aurélio Duarte deveria se casar com alguém a sua altura. Isso porque era um homem branco e 36 anos mais velho que Maria da Glória, uma mulher negra e pobre. Essas pessoas achavam que Maria estava com José por ‘interesse’, nunca por que o amava.

Entre momentos felizes e outros nem tanto, por conta dos problemas de saúde de José, quando Maria provou todo seu amor, os dois tiveram duas filhas. E quem diz com todas as letras que esse amor foi, e continua sendo, real é a filha mais velha do casal.

Leia também: Casal mineiro celebra 60 anos de casamento e conta o segredo pra gente

“Em meio a julgamentos, minha mãe ficou ao lado do meu pai até, literalmente, seu último suspiro. E sabe o que é mais lindo nisso? É que foi por amor. Sinceramente, eu não acho que ‘interesse’ resista a 10 anos de cuidados e dedicação”, contou Dilma Duarte ao Razões para Acreditar.

Maria foi a segunda esposa de José. A primeira, com quem teve 17 filhos, morreu por causa de um câncer no cérebro. Quando ficou bastante doente, aos 83 anos, Maria era pessoa que José mais fazia questão de estar ao seu lado o tempo todo. A família mora em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife.

ela provou amava marido cuidando dela último dia
Maria, José e suas duas famílias

“Painho perdeu o movimento da mão direita [devido a um AVC]. Entre sessões de fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional, era ela quem se dedicava a ele.”

Foi assim até José dar seu último suspiro. Depois da sua morte, Dilma encontrou uma folha de caderno com o nome do pai escrito em sequência. Mas a letra era da mãe: Maria escreveu o nome de José para que ele reaprendesse a escrever, sentindo-se útil novamente, pois naquele momento dependia de Maria pra tudo.

PUBLICIDADE ANUNCIE
ela provou amava marido cuidando dela último dia
❤❤

“A assinatura dele já não era mais necessária, porque minha mãe era procuradora do meu pai. Ele não precisava mais votar ou qualquer outra coisa, pois já tinha 91 anos. Era mesmo para ele se sentir útil, pois tinha perdido o movimento do lado direito do corpo. Então, teve que reaprender tudo de novo, como um bebê.”

Leia também: Noivo faz convite de casamento em Braille para amigo deficiente visual

Maria também fingia que tocava violão, pois sabia que José amava música. Ela dedilhava o violão, como se soubesse o que estava fazendo, só para ver o marido sorrir.  “Minha mãe nunca tratou como um ‘peso’ os cuidados com meu pai. Era amor de verdade. ‘Interesse’ ou qualquer outra coisa não resistiria a essa luta.”

Dilma afirma também que ela, a irmã mais nova e os irmãos que José teve no seu primeiro casamento ficaram ainda mais unidos depois da morte do pai (foto abaixo). “A morte do nosso pai não separou ninguém, só nos fortaleceu.”

ela provou amava marido cuidando dela último dia
Dilma na sua festa de casamento (surpresa) com os irmãos mais velhos

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

ela provou amava marido cuidando dela último diacrédito das fotos: Dilma Duarte/Arquivo pessoal

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar