Esta senhora de 84 anos vai te dar uma linda lição sobre o que é ter uma vida simples (mas não simplória)

"A gente não pode ser triste. Nós somos terra e estamos aqui de passagem. A gente tem que agradecer a Deus pela natureza que nós temos."


Tem algumas pessoas que tem a incrível capacidade de nos conectar com nossas raízes, seja pelo jeito de falar, de andar, de fazer as atividades que sabe fazer, essas pessoas tem um jeito especial de ser que particularmente me cativa demais.

Acabei de conhecer a Dona Mariquinha, uma senhora de 84 anos que vive no município de Bofete, interior de São Paulo, em um vídeo publicado na fanpage do Canal Futura, ela conta um pouco de sua vida e nos mostra a diferença em ter uma vida simples e não simplória.

Em um trecho ela diz com uma sabedoria brejeira maravilhosa: A gente não pode ficar parado, se a gente ficar parado nosso cérebro vai secando”, “mosquito não senta”.

Em um outro trecho ela diz: “A gente não pode ser triste. Nós somos terra e estamos aqui de passagem. A gente tem que agradecer a Deus pela natureza que nós temos.”

Lembrei de um vídeo do Mário Sérgio Cortella, em que ele diz que há bens que influenciam no que é fundamental e outros no que é essencial em nossas vidas. “De onde vem minha riqueza? Daquilo que eu tenho ou daquilo que me tem?

Bom, sem mais delongas, assista a este belo vídeo e aprenda um pouco mais sobre a vida com Dona Mariquinha:

Ao ver o vídeo, também lembrei de um trecho do show de Maria Bethânia, onde ela conta que gosta muito de cantar música de raiz, pois são essas as músicas de um povo digno e cheio de história. O trecho é esse:

“Livre do meu ofício

Eu gosto de cantar o Brasil caboclo

Tão longe de tudo aqui

E eu canto esse Brasil como quem faz uma prece

Para que ele resista

Apesar da mão do progresso vazio

Que insiste em dizimá-lo

E para que suas modas de viola

No seu encatamento

Ainda por muito tempo

Façam vibrar nossos corações”.

É isso <3

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar