fbpx

Idosa celebra seu aniversário costurando casaquinhos e meias de lã para bebês carentes

Na véspera de seu aniversário, idosa produz dezenas de casaquinhos e meias de lã para bebês carentes.


idosa casaquinhos meias lã
PUBLICIDADE ANUNCIE

Maria Aparecida Guelfi segue a todo vapor com sua produção de casaquinhos e sapatinhos de lã para bebês assistidos por organizações não-governamentais, na cidade de Poços de Caldas, em Minas Gerais.

A idosa vai completar 89 anos no dia 14 de junho. A data de comemoração de mais uma primavera está logo ali, mas ela não pensa nos presentes que irá ganhar. Pelo contrário, é ela quem vai dar os presentes.

Essa não é primeira vez que a aposentada usa seu talento e generosidade a favor do próximo. Conhecida como Pitta, entre os mais velhos, e como Dinda, entre os mais novos, Maria não casou e nem teve filhos.

mulher faz casaquinhos meias lã
Maria Aparecida Guelfi é a gentileza em pessoa

Ela trabalhou a vida toda como bancária. Quando se aposentou, comprou um sítio na cidade natal, após trabalhar muitos anos em São Paulo. “Ela morou muito tempo sozinha nesse sítio. Nunca vendeu nada. Ela dava fubá, pós de café, milho, verduras, para os parentes e para a caridade”, disse Maria Ignez Bissoli, sobrinha de Maria, em entrevista ao Razões para Acreditar.

casaquinhos lã

PUBLICIDADE ANUNCIE

Maria começou a tricotar na adolescência e sempre fazia casacos de lã para os familiares. “Quando se aposentou, aumentou a produção. Fazia enxovais completos e doava para o hospital da cidade.”

meias bebê lã

“Quando minha filha era pequena, ia sempre ao sítio dela e aprendeu a fazer casaquinhos de lã com ela. Ela tinha muita paciência”, relembra Bissoli.

E é com essa paciência, afeto e carinho que ela costura os casaquinhos e meias que vai doar. “Hoje, ela faz tricô o dia inteiro”, disse a sobrinha, que rasga elogios à mulher que tanto lhe inspira e, agora, irá inspirar muito mais pessoas.

Quando Maria poderia pensar apenas nela, ela pensa no bem-estar de dezenas de crianças que serão aquecidas com uma de suas maiores paixões.

E é com essa paciência, afeto e carinho que ela costura os casaquinhos e meias que vai doar. “Hoje, ela faz tricô o dia inteiro”, disse a sobrinha, que rasga elogios à mulher que tanto lhe inspira e, agora, irá inspirar muito mais pessoas.

Quando Maria poderia pensar apenas nela, ela pensa no bem-estar de dezenas de crianças que serão aquecidas com uma de suas maiores paixões.

Leia também!

Casal de velhinhos faz roupas de crochê para bebês e doa a famílias carentes sem enxoval

Fotos © Maria Ignez Bissoli/Arquivo Pessoal/Reprodução

PUBLICIDADE ANUNCIE


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar