Lealdade: Labrador de menino autista não sai de perto dele nem no hospital


labrador e criança autista

banner reservaJames Isaac tem 9 anos, é autista e possui um companheiro inseparável: Mahe, um labrador.

A organização Assistance Dogs New Zealand Trust treinou Mahe por seis meses, desde que ele era um filhote, para ajudar crianças com autismo, devido seu comportamento calmo e por ser extremamente dócil, o labrador rapidamente transformou a vida do garoto desde que chegou, 3 anos e meio atrás.

Antes disso, Michelle a mãe do garoto, contou que era extremamente difícil sair de casa com ele: “Nós não podíamos nem mesmo ir a um café como uma família. James ficava muito ansioso e queria sair imediatamente. Mas, desde que Mahe chegou, James consegue sentar e ficar nos esperando terminar o café.”

E por causa desse vínculo tão forte entre os dois, o labrador foi autorizado a acompanhá-lo numa ressonância magnética para diagnosticar a causa das convulsões que vinha sofrendo.

labrador
Reprodução/Facebook/Assistance Dogs New Zealand

“Ele estava apenas olhando para James, e olhando realmente preocupado”, disse a mãe ao observar que durante o procedimento que James estava sob efeito de anestesia geral o melhor amigo não saiu dali e ainda ficou conferindo se tudo ocorria bem. O momento foi comovente e os pais registraram tudo. Mahe tratou logo de se aconchegar bem pertinho de James até mesmo na maca.

labrador e seu amigo
Reprodução/Facebook/Assistance Dogs New Zealand
labrador
Reprodução/Facebook/Assistance Dogs New Zealand

Os cães podem ser ensinados a distrair seus companheiros, avisar os outros membros da família de um evento inesperado ou até mesmo rastrear pessoas desaparecidas e objetos.

Mahe, significa “Dom de Deus”, o cachorro não só acalma o garoto como também foi treinado para mantê-lo protegido. Quando estão fora de casa, James é preso por uma corda ao cachorro, se ele começa a correr muito ou vai muito longe, o amigo senta e não cede.

labrador
Reprodução/Facebook/Assistance Dogs New Zealand

“Há uma mágica que acontece entre uma criança com autismo e os cães, eles acalmam as crianças. As crianças mantém contato visual com o cão muitas vezes mais do que com seus próprios pais e irmãos”, explica Wendy Isaacs, gerente da organização.

Leia também: 

Depois de 3 anos curadas do câncer, meninas recriam foto que viralizou

Por trás dessa fotografia existe uma história de amor de pai

Arquiteto cria uma ‘academia de treino’ imersiva para filha autista desenvolver os sentidos

Com informações de UOL Notícias

banner reserva

Comentários no Facebook

Acessar

Não tem uma conta?
REGISTRAR

Resetar senha

Voltar para
Acessar

REGISTRAR

Logar

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista