fbpx

Médico conforta bebê de mãe solo enquanto ela estava na emergência

O médico confortou o bebê, que chorava enquanto a mãe fazia exames, durante uma hora e meia.


médico mãe solo
PUBLICIDADE ANUNCIE

Quem é mãe solo nem sempre tem uma pessoa com quem possa deixar o filho quando precisa resolver um problema ou atender uma necessidade sua, como uma emergência médica. Não tem muita escolha: a mãe precisa levar a criança junto nesses compromissos.

Um desses casos, e que viralizou no início do mês, aconteceu na Nova Zelândia. Uma mãe precisou ir para um hospital às pressas e teve que levar seu filho, pois não tinha um parente ou amigo próximo com quem pudesse deixar a criança, informou o The Western Journal.

RELACIONADO: Médico cumpre promessa de dançar para garotinho doente em pleno hospital

Quer dizer, ela achava que não. Felizmente, um médico que estava de plantão e era responsável pela unidade onde a mulher fazia os exames, se ofereceu para cuidar do pequeno. A equipe do hospital até tentou acalmar o menino, que chorava enquanto a mãe fazia seus exames, mas sem sucesso.

O garotinho só ficou calmo mesmo depois que foi para os braços do médico Muir Wallace – quem vê a foto e não conhece a história imagina que ele seja o pai do menino.

Na manhã do dia seguinte, o Hospital Waikato divulgou no Facebook a foto do médico confortando a criança:

“O mais velho dois nesta foto é Muir – um dos nossos consultores de ED”, escreveu um colega chamado Mike. “O garotinho estava aqui com a mãe e precisava muito de uma soneca. Infelizmente, sua mãe não estava bem e precisou fazer alguns exames. Acredito que várias pessoas tentaram, mas Muir foi o único capaz de acalmá-lo”, escreveu um colega chamado Mike.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Mike elogiou Wallace pela sua capacidade de fazer mais de uma tarefa ao mesmo tempo e várias pessoas compartilharam experiências que tiveram com o médico. Em poucos dias, a postagem acumulava mais de 4 mil curtidas:

“Este Dr. É incrível”, comentou um internauta. “Ele cuidou do meu filho ontem à noite em um lugar de crianças, pois estava com a cara queimada e precisava de anestesia para ter certeza de que seus olhos estavam bem.”

Leia também: Sem reclamar, filho de 3 anos acompanha pai em hospital

“Você pode ver que é um homem incrível por esse único ato!”, disse outra pessoa.

“Obrigado Muir por cuidar de duas pessoas naquele dia acima e além do que você teria que fazer.”

Mike terminou o post lembrando que atos de gentileza acontecem toda hora ao nosso redor – só precisamos olhar em volta para vê-los.

“Apenas um exemplo das pequenas gentilezas que acontecem todos os dias, que muitas vezes passam despercebidas.”

Porque dizer “mãe solo” e não “mãe solteira”

Levando em conta que maternidade não, necessariamente, precisa ser sinônimo de estar em um relacionamento estável, o termo “mãe solo” surge para designar aquelas mães que são as principais ou as únicas responsáveis pela criança. Essas mulheres, por qualquer motivo que seja, não podem contar com os pais na criação, e, mesmo assim, decidem encarar o desafio que é criar um filho.

Além disso, “mãe solteira” carrega, ainda, outra conotação negativa: a de que falta algo. Mas, a gente sabe que não é assim. Existem muitas possibilidades de famílias incríveis e completas – pai e mãe, duas mães, dois pais, mães e pais solos, e por aí vai! -, que proporcionam uma ótima criação, cheia de amor e carinho! (via The Body Shop).

Esse médico é uma inspiração “sim” ou “com certeza”?!

Foto: Reprodução/Waikato Hospital

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar