Cachorrinha da CIA é “demitida “por preferir brincar do que farejar bombas


CIA
4.2k shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Se todo mundo tem sua vocação, a cachorrinha Lulu provou que isso também se aplica aos cães. A CIA teve que tomar a decisão difícil de “despedir” a labradora de 18 meses que trabalhava como farejadora de bombas. Ela acabou retirada da turma de filhotes de 2017.

“Estamos tristes em anunciar que depois de algumas semanas de treinamento, Lulu começou a mostrar sinais de que ela não estava interessada em detectar odores explosivos”, escreveu a CIA.

Depois de semanas de treino intensivo, os cães da CIA devem ser capazes de farejar 19 mil tipos diferentes de cheiros de explosivos. Eles também passam por uma sequência de dez testes. Os melhores alunos apresentam-se então para o serviço, a maior parte dentro dos Estados Unidos, revistando veículos e construções em busca de explosivos, segundo o site.

“Às vezes, um cachorro da corporação está entediado e precisa brincar mais, ou às vezes precisam de uma pequena pausa. Mas para alguns cães, como Lulu, fica claro que a questão não é temporária. Esse não é o trabalho para o qual eles são destinados “, disse a CIA.

Quando um cachorrinho é removido do programa K9, o seu treinador e sua família têm a chance de adotá-los, e muitos o fazem. Lulu foi adotada por seu treinador e agora está curtindo seus dias de folga brincando com os filhos dele ou cheirando coelhos e esquilos no quintal.

“Vamos sentir falta de Lulu, mas essa foi a decisão certa para ela”, concluiu a CIA.

Via

Fotos: Reprodução


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista