fbpx

Senhora supera depressão profunda com o amor de seus 37 cães

“Desde aquele dia, ela nunca mais reclamou ou se queixou da saudade que sentia do meu avô."


mulher supera depressão amor cães
PUBLICIDADE ANUNCIE

Os cães mudam a vida de qualquer pessoa para melhor. Eles amam seus tutores incondicionalmente, sem pedir nada em troca. Claro que retribuir o amor que os cachorros oferecem nunca é demais. O fato é que são sempre eles que amam primeiro, dando a muitos tutores uma razão para superar doenças como a depressão. (Você também pode apoiar Animais com Visa, sem pagar nada a mais por isso, inscreva-se aqui.)

É o caso da aposentada Ordália Gomes Duarte, 76 anos, moradora de Niterói, no Rio de Janeiro. Quem contou a história de amor dela e seus 37 cães foi a neta Sophia Ibargüen, em entrevista ao Razões para Acreditar.

Sophia foi morar com a avó na infância, depois que sua mãe se separou do pai dela. Quando ela tinha 9 anos, a mãe morreu em um acidente. Desde esse dia triste, dona Ordália é mais do que uma segunda mãe para a jovem.

cães
Sophia mora com a avó e ajuda a cuidar dos cães

“Eu costumo falar que para mim ela é mãe mil vezes. Minha avó não existe, sério. Só conhecendo ela para entender”, contou Sophia ao Razões. “Ela sempre me colocava na cama, cuidava de mim quando estava doente, me elogiava e me fazia sentir a menina mais feliz do mundo.”

Quando a mãe de Sophia faleceu, dona Ordália “foi a pessoa mais forte que já vi, ficou do meu lado e nunca deixou faltar nada, pelo contrário”. A mulher nunca sequer chorou na frente de Sophia, para que a menina acreditasse que “amanhã será um dia melhor”.

Porém, aquela mulher forte, o alicerce da família, entraria em depressão profunda em 2011, com a morte do seu companheiro e avô de Sophia. “Ela vivia à base de remédios. Tinha ataques de pânico e até marca-passo no coração ela precisou colocar, devido ao susto que tomou quando perdeu meu avô”, lembra a neta.

E não foi uma só, mas duas cirurgias que Ordália precisou fazer no coração, por causa de um erro médico. Nessa mesma época, Sophia, que ajuda a avó a cuidar dos seus 37 cães, viu na internet a foto de uma cachorrinha, ainda filhote, que tinha sido abandonada.

Sophia ficou encantada com a cadelinha e, então, pensou: “Talvez, ela alegre minha avó”. Mas, Esther, como foi batizada, fez muito mais do que isso: deu à Ordália uma razão para acreditar que “amanhã será um dia melhor”, assim como ela fez com a neta, quando sua filha a deixou.

“Desde aquele dia, ela nunca mais reclamou ou se queixou da saudade que sentia do meu avô. Ela começou a se dedicar inteiramente em cuidar e salvar o máximo de animais”, afirma Sophia.

mulher supera depressão amor cães
Ordália e Esther, companheiras inseparáveis

“Nós duas somos muito parecidas! Sempre vamos achar que a vida de um cachorro é tão importante quanto a de um humano. Ela é a razão de tudo o que eu tenho de bom. Só posso definir nossa relação como única. É uma relação que não troco por nada. Já podia ter me mudado há muito tempo, mas não fico longe dela.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Não é nada barato cuidar de 37 cães, mas Sophia e Ordália estão cercadas por pessoas como o médico veterinário Gabriel Monerrat, do Hospital Veterinário Central (HVC), que aplica nos cães as vacinas que eles precisam a preço de custo, pagas em várias parcelas e com descontos! Você também pode ajudar a sua causa preferida por meio do programa Causas Visa. Inscreva-se já e comece a ajudar.

mulher supera depressão amor cães
É amor demais, minha gente! 💓

Todos os cães foram resgatados das ruas e de situações de maus tratos. “A Esther foi abandonada junto com os irmãos em uma caixa perto do colégio onde eu estudava. Conseguimos bons adotantes para os irmãos dela, mas ninguém se interessou por ela”, lembra Sophia.

Cada cãozinho veio de um lugar diferente. Alguns chegaram à casa da dona Ordália ainda filhotes, outros, mais velhinhos. Hoje, todos eles são castrados e bem cuidados pela avó e pela neta.

mulher supera depressão amor cães
Anjos de quatro patas!

“Eles comem ração super premium e, três vezes por semana, eu faço algumas comidinhas (cenoura, frango, chuchu, ovo cozido) e misturo com a ração. Eles comem todo dia às 7 horas e às 19 horas.”

“Quanto ao lugar deles na casa, não há limites. Minha avó gosta da companhia deles, então, eles ficam onde querem. A maioria fica no quarto da minha avó, já que eles seguem ela 24 horas por dia. Então, deve ter uns 10 no quarto dela neste momento (risos). Alguns gostam de ficar na sala, tanto que minha avó colocou uma cama na sala para caber todo mundo.

mulher supera depressão amor cães

A casa tem três quartos para hóspedes, então, alguns cães dormem em colchões espalhados nesses cômodos. “O maior trabalho que temos é com a limpeza. Para que todos fiquem confortáveis, preciso estar sempre limpando a casa, passando aspirador de pó, essas coisas”, explica Sophia.

Perceberam que nesta história temos personagens diferentes, mas que estão conectadas por uma mesma mensagem (“amanhã será um dia melhor”), que cada um deles passa e recebe de maneiras diferentes?

Começou com a dona Ordália dizendo para Sophia, quando ela perdeu sua mãe, e, depois, com os cães, através do seu amor incondicional, para Ordália, em um momento crítico da sua vida. O que nos permite concluir que “amor é amor”, independentemente de onde ele venha. AME!

Apoie causas com Visa, sem pagar a mais por isso. Inscreva-se e ajude já! Aqui.

Fotos © Sophia Ibargüen/Arquivo Pessoal – Reprodução Autorizada

PUBLICIDADE ANUNCIE


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar