fbpx

Benedict Cumberbatch recusará papeis se mulheres receberem menos que ele

“Igualdade de remuneração e um lugar à mesa são os princípios centrais do feminismo."


Benedict Cumberbatch Doutor Estranho

Você não precisa ser mulher para lutar para que homens e mulheres tenham direitos iguais. Pelo menos é assim que pensa o ator britânico Benedict Cumberbatch, protagonista de sucessos como a série Sherlock (Hartswood Films, 2010) e o filme Doutor Estranho (Marvel, 2016).

Cumberbatch afirmou – com todas as letras – que rejeitará papéis se os produtores não pagarem a mesma remuneração às atrizes, informou a RadioTimes.

“Igualdade de remuneração e um lugar à mesa são os princípios centrais do feminismo. Veja as cotas. Pergunte quanto está sendo pago e diga: ‘Se ela não for paga da mesma forma que os homens, eu não vou fazer isso’.

Benedict Cumberbatch na série Sherlock
Benedict Cumberbatch na série Sherlock. Foto: Reprodução

Cumberbatch antecipou que o próximo projeto de sua produtora é uma história sobre maternidade “a partir de uma ótica feminina”, com metade do elenco formado por mulheres, lembrando que filmes como Pantera Negraa terceira maior bilheteria de todos os tempos nos Estados Unidos, com 506 milhões de dólares arrecadados – demonstra que a diversidade racial não impede a rentabilidade das produções – os números provam o contrário.

Leia também: Homem e mulher trocam de e-mails no trabalho e comprovam como o machismo está enraizado

Suas declarações surgem após várias polêmicas no Reino Unido envolvendo a disparidade salarial entre atores e atrizes. A protagonista da série do The Crow (Netflix, 2016), Claire Foy, em que interpreta a Rainha Elizabeth II, há poucos dias, revelou que ganhava menos do que o seu parceiro de cena, o ator Matt Smith, que vive o príncipe Philip – marido de Elizabeth.

Foto de capa: Reprodução/Marvel


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar