Elephant Parade em São Paulo envolve arte e conscientização para preservar elefantes


Elephant Parade
503 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

O que a arte pode fazer por você hoje? No caso da Elephant Parade, em São Paulo, vai ajudar na conscientização da preservação dos elefantes, animais que são mortos a cada 15 minutos ao redor do mundo devido a caça ilegal. A exposição a céu aberto é composta por esculturas customizadas por artistas, espalhadas por diversos pontos da capital paulista, para alertar a população sobre a causa.

O intuito é, basicamente, “colocar um elefante branco no meio da sala”, como diz a antiga expressão popular. Ou seja, chamar a atenção do público para refletir e interpretar temas sensíveis e importantes no contexto da preservação da espécie. O cenário é triste e chocante: em média, 33 mil elefantes são abatidos por ano devido o comércio do marfim, material feito das presas dos animais.

Visando preservá-los, mostrar sua importância na biodiversidade e outros dados interessantes, como a interação e a comunicação entre eles, a Elephant Parade foi criada como ação global em 2007, com início na Holanda e depois presente em vários países. Nesta edição, São Paulo recebe 85 estátuas de bebêfeitas de fibra e coloridas por diversos artistas como Rafael Mantesso, Antonio Peticov, Rodrigo Falco, Mauro Martins e Binho Ribeiro, convidados pelo licor de origem africana Amarula, patrocinadora máster do movimento pela segunda vez.

Relacionado: Voluntários tricotam suéteres para proteger do frio elefantes resgatados

Depois de percorrer a cidade e ser personagem para muitas selfies (bora colaborar, gente!), as esculturas serão leiloadas no mês de outubro e parte da renda vai para o Santuário de Elefantes Brasil, organização sem fins lucrativos na Chapada dos Guimarães, Mato Grosso, que trabalha no resgate de elefantes na América do Sul.

O projeto Amarula Trust, criado pela marca em 2002, se propõe a colaborar com entidades e projetos de preservação dos elefantes pelo mundo. No Brasil, adaptou a sua plataforma global para que tivesse aderência com a realidade do país e pudesse mobilizar as pessoas pela causa. “Nossas iniciativas (Elephant Parade e a parceria com o Santuário de Elefantes) tem o objetivo de garantir que os animais que sofrem com maus tratos na América do Sul possam ir para um ambiente melhor e viver mais próximos da natureza. Ao preservar a vida selvagem, esperamos deixar um legado de vida para as gerações futuras”, explicou o gerente de produto no Brasil, Denis Agnelli.

Confira abaixo onde encontrar algumas obras (a lista completa está aqui) e faça parte da manada! A hashtag usada nas redes sociais para compartilhar suas fotos são:  #elephantparadesp e #coraçãodeelefante

Binho Ribeiro – O Jardineiro do Entardecer – Pq. Do Povo

Mauro Martins – Elefa – Av. Paulista, 1500

Antonio Peticov – Ula – R. Estados Unidos, 1595 com R. Haddock Lobo

Rodrigo Falco – Coração de Marfim – Av. Paulista, 1294

Rafael Mantesso – Sunset – Av. Brigadeiro Faria Lima, 2785 com a Av. Cidade Jardim

Fotos: Divulgação/Amarula


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista