Vitória da sensatez: França proíbe modelos muito magras no mundo da moda


379 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Você sabia que o Brasil é o país que mais realiza cirurgias plásticas no mundo, sendo a lipoaspiração o procedimento mais efetuado?

Mesmo assim, felizmente, o padrão ideal de beleza vem sendo contestado de uns tempos para cá. Ainda existe a pressão social para exibir um corpo magro e bonito, mas tanto a sociedade como a mídia, mesmo que devagar, esboçam tentativas de mudar essa situação.

A França, conhecida por ser a capital mundial da moda, instituiu uma nova lei:  os modelos (homens e mulheres) que trabalham no país precisarão comprovar sua saúde física, principalmente em relação ao peso, través de um atestado médico. Além disso, a partir de 1 de outubro, as fotografias alteradas digitalmente também terão de ser creditadas como tal e todas as imagens em que a aparência de um modelo tenha sido ajustada, precisarão ser marcadas como foto retocada.

A lei entrou em vigor este mês e o Ministério da Saúde francês espera que isso ajude a combater a busca incessante e impossível pela beleza e magreza.

Os médicos avaliarão se os modelos são saudáveis, com base no peso, idade e forma do corpo. Quem desrespeitar a lei terá que pagar multas com valor em torno de 75 mil euros e podem cumprir até 6 meses de prisão.

“Expor os jovens a imagens normativas e irrealistas dos corpos leva a um sentimento de autodepreciação e baixa autoestima que pode afetar os comportamentos relacionados à saúde”, disse a ministra francesa de Assuntos Sociais e Saúde, Marisol Touraine.

Quem sabe o Brasil não se anima a fazer o mesmo?

Via com informações e foto do Positive News

Veja também

Ronaldo Fraga faz desfiles com modelos trans na SPFW: “Foi emocionante, até chorei”

A diversidade da beleza feminina em postais do início do século 20


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista