Após segurar cartaz em semáforo (e ser ridicularizado), homem consegue emprego em Palmas


5.5k shares Compartilhar Tweet WhatsApp

O que um pai de família, com dois filhos – um de 9 anos e um de 12, desempregado, com várias contas atrasadas e pensão alimentícia para pagar, faz quando fica até um ano procurando emprego sem sucesso? Edvaldo de Mendonça Lira, que vive em Palmas, no Tocantins, foi para as ruas com um cartaz de papelão improvisado, pedindo por um emprego.

Edvaldo tem 36 anos e é de Recife, mas chegou com sua família em Palmas há cerca de dois meses. Desesperado em busca de um emprego, a solução que ele encontrou foi esta e apesar de ter sido difícil, ele não se arrepende, já que conseguiu um emprego de vigilante na Assembleia Legislativa. “Eu não esperava tanta repercussão, mas tinha certeza que ia conseguir. Cheguei a pensar em desistir. Houve um momento em que o sol estava muito forte, senti muita sede e fome. Muitas pessoas riram de mim, mas eu não fiquei com vergonha. Também teve muita gente tirando foto e pensava que alguém poderia ver a imagem. Essa divulgação boca a boca que eu queria.” 

Leia também: Desempregado e sem dinheiro, homem faz cartão de visita caseiro e bomba na web

Quando ele estava no semáforo mais movimentado da cidade pedindo por um emprego, uma estudante, Erica Regina de Farias Ferreira , tirou uma foto e compartilhou nas redes sociais. A sua determinação acabou chamando a atenção de Joseph Madeira, diretor de uma empresa de serviços terceirizados, que contratou Edvaldo para trabalhar na Assembleia.

Depois que o segurança foi para as ruas em busca de uma colocação no mercado de trabalho, ele acabou recebendo mais de 50 propostas de emprego, mas optou por trabalhar na empresa em que está hoje por ter se sentido acolhido e muito bem recebido.

Infelizmente, Edvaldo afirma que sofreu preconceito quando fazia entrevistas de emprego, por ter sotaque e por ser de outra cidade, mas agora as coisas mudaram e ele já começou um novo capítulo de sua vida. Hoje, ele agradece on bons resultados de sua ação e afirma: “Sou grato à solidariedade dos palmenses e as pessoas que multiplicaram o meu grito silencioso”.

Com informações de Leia Já

Foto: reprodução Facebook / Leia Já


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar