Evangélico há 36 anos diz: “Não acredito que a homossexualidade seja pecado diante de Deus”

Esse é um tema que não devia ser polêmico, mas é. 


Recentemente, o gerente administrativo Clauber Ramos, de Curitiba, escreveu um relato em suas redes sociais sobre pecado e homossexualidade.

O motivo? ele é evangélico “sou cria da igreja, frequento-a desde os 11 anos de idade, portanto estou há 36 anos dentro dela” e se mostra extremamente desconfortável com o avante conservador recente por parte de uma parte da comunidade evangélica que interpreta a Bíblia de forma equivocada, e deturpa o que se entende por pecado.

Em seu post no Facebook, ele diz que está “saindo do armário” ou em outras palavras, dizendo o que pensa sobre homossexualidade. Ele começa seu relato assim:

“Sim, meus amigos e amigas, quero que todos saibam:
Apesar de casado, heterossexual e pai de duas filhas. Apesar de ser cria da igreja evangélica o e apesar te todas pedradas que poderei levar por este texto…

EU DEFINITIVAMENTE NÃO ACREDITO QUE HOMOSSEXUALIDADE SEJA PECADO DIANTE DE DEUS.”

E continua:

“Não, não me venham com textos bíblicos, conheço muito bem todos eles e sei que não passam por uma interpretação séria, contextualizada e honesta.

Todos estes textos que vocês irão citar também não passam pela ÚNICA LEI DE JESUS que é o AMOR! (Mateus 22:37 a 40)

Em Jesus aprendo que o pecado não é só o que faço, mas sim que ele existe dentro de mim em forma de intenções, às vezes expostas, às vezes não… Mas sempre pecado. (Mateus 5: 21 a 30)

Em Jesus eu entendo que pecado é tudo aquilo que vai contra o outro ser humano, seja ele quem for, pois qualquer ser humano é o meu próximo. (Mateus 7:12)

Próximo este que deve ser amado e respeitado por mim, não só de palavras, mas de fato, seja ele como for. (1ª. João 3:18)”

Em uma honesta conversa no Facebook, ele disse que acredita que este avante conservador é recente, e se inicia como resposta a liberação sexual que ocorreu nos Estados Unidos nos anos 60, fruto de uma interpretação literal e equivocada da Bíblia, misturada com populismo, política e poder. No trecho final de seu relato ele diz:

“Assim se você concorda comigo “saia do armário” e assuma de vez que precisamos nos opor a estas interpretações erradas da Bíblia, que é um livro maravilhoso, desde que lido levando em conta quando foi escrita e em que contexto. Desde que seja lida sobre a ótica de JESUS!

Religião nenhuma pode ser usada como pretexto para desmerecer o outro e descumprir o único mandamento: AMAR AO PRÓXIMO!”

O post já recebeu diversos comentários, a maioria apoiando e parabenizando pela coragem e iniciativa, e mesmo para os que os atacam de forma agressiva, ele diz:

homossexualidade não é pecado

Para quem não associou o nome à pessoa, o Clauber já apareceu aqui no Razões quando ele e um grupo de cristãos foram à Parada do Orgulho LGBT em São Paulo levando faixas de pedidos de desculpas aos homossexuais pela forma que a igreja os trata, relembre aqui.

Para finalizar a conversa que tive com ele, pedi para mandar um recado aos nosso leitores, no que ele disse:

“Sonho, assim como Lennon, em um mundo onde exista mais AMOR e menos religião. Mais braços estendidos do que dedos para acusar, mais sorrisos nos rostos do que palavras de ódio disfarçadas de luta pelos bons costumes… Sim, ainda temos Razões para acreditar nesse sonho.”

Leia o texto na íntegra aqui:

A gente também Clauber! Obrigado pela sua coragem e clareza.

Comentários no Facebook

Acessar

Não tem uma conta?
REGISTRAR

Resetar senha

Voltar para
Acessar

REGISTRAR

Logar

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista