Prefeito no RS telefona para médico que estava fora do posto de saúde em pleno plantão

"Você poderia me dizer qual é o motivo da sua ausência aqui na UBS [Unidade Básica de Saúde]?


prefeito ligou para médico que estava fora do posto de saúde
2887 shares Compartilhar

O novo prefeito de Caxias do Sul (RS) deu uma ‘bronca’ no médico de um posto de saúde por telefone, na quinta-feira (2).

“Você poderia me dizer qual é o motivo da sua ausência aqui na UBS [Unidade Básica de Saúde]? É o seu dia de plantão. Tem 16 pacientes na sua agenda e o senhor não está aqui atendendo”, questionou Daniel Guerra (PRB), querendo saber o motivo dele não estar no posto de saúde.

O momento foi filmado e publicado na página da Prefeitura no Facebook. O vídeo tem mais de 300 mil visualizações, 8.542 compartilhamentos e 1.590 comentários, a maioria elogiando a postura do prefeito.

O motivo da ausência do funcionário é uma paralisação de três dias convocada pelo Sindicato dos Médicos de Caxias do Sul. Os 342 médicos que trabalham no serviço público deveriam bater o ponto eletrônico a partir de 1º de março para comprovar o cumprimento da carga horária contratada. Os médicos discordaram da medida e 85% deles decidiram aderir à greve que se encerrou na sexta-feira (3).

“Seu salário está em dia. Então, que cumpra seu papel de servidor. Gostaria que o senhor ponderasse, em respeito à população”, disse o prefeito ao médico, antes de desligar o telefone. “Fui respeitoso, mas muito firme”, contou o prefeito à Folha de S. Paulo. “Não sou político, sou gestor. Como tal fui ‘contratado’ pela população. Cumprir carga horária e bater o seu ponto é algo normal para todos os trabalhadores”, disse Guerra.

O prefeito disser ter ficado surpreso com a postura dos médicos “porque nenhum deles é obrigado a trabalhar no setor público e atender pelo SUS”.

Leia também:

Desconhecido paga compras de idosa após ela ter cartão recusado em mercado

Instituto faz chamada pública para inscrições de projetos sociais em educação

Menino de 5 anos corta o cabelo igual do amigo para tentar enganar professora

“É uma opção. A pessoa se inscreve no concurso. Pressupõe-se que ela lê o edital e por isso sabe a carga horária e o valor da remuneração”, afirmou o prefeito.

A prefeitura considerou a paralisação ilegal, pois não teria sido avisada com 72 horas de antecedência, como prevê a lei, e o sindicato que representa a categoria é o Sindiserv, dos servidores municipais.

Contudo, o sindicato dos médicos alega que notificou a prefeitura sobre a greve e que a Justiça considerou, em decisão anterior, que o órgão é o representante legal da categoria.

Confira o momento em que o prefeito liga para o médico:

Foto: Reprodução/Facebook


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista