Projeto conta a história das pessoas com seus livros favoritos

Toda semana, a página do projeto conta duas histórias de leitores com seus livros favoritos.


Todo mundo tem um livro de cabeceira, aquele de que mais gosta, que já leu mais de uma vez. Além da história que o leitor lê nas páginas do livro, ele próprio tem uma história com seu livro preferido. Foi para contar essas histórias que surgiu o projeto “História Além da Capa”.

Toda semana, a página do projeto no Facebook conta duas histórias de leitores com seus livros favoritos – para participar é só mandar uma mensagem. Em novembro, a ideia cresceu e eles decidiram criar uma biblioteca comunitária na comunidade de Sepetiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

14910414_1754605964803596_2004870768833490538_n

Todos os dias, a biblioteca ganha novos leitores. Mais de 15 crianças participam semanalmente da roda de leitura. O espaço foi cedido pela Igreja Católica. O legal é que a igreja não impôs restrições a livros de diferentes religiões – um exemplo de respeito a todas as religiões.

“A princípio era apenas a vontade de ler para crianças que não tinham esse hábito em casa. Eu trabalhava em uma loja e as pessoas ficavam ali conversando sobre diversos temas. Uma vez eu vi no Caldeirão do Hulk o projeto do banco Itaú – Leia para uma criança – e mandei meus dados. Alguns dias depois eu recebi meus dois livros e comecei a ler para algumas crianças. Depois falei com algumas pessoas da igreja, falei também com um secretário de um político, mas as pessoas não entenderam bem o que eu realmente queria fazer. A ideia principal era ler e passar para as crianças que isso não é chato como muitas pensam. Ler é viajar e conhecer”, conta Katia Reis, uma das responsáveis pelo projeto.

Leia também: Biblioteca comunitária leva lazer e cultura para moradores de Paraisópolis há 10 anos

A ideia é que o projeto cresça e se expanda para outras comunidades, mas, por enquanto, o foco continua sendo Sepetiba. O projeto já levou as crianças para conhecerem trabalhos parecidos, como a Biblioteca Parque Estadual, onde elas conheceram uma roda de leitura quinzenal aberta ao público e que conta com a participação de moradores em situação de rua. Elas também já foram a um congresso de surdez e contaram histórias de pessoas surdas com seus livros favoritos.

image-1

image-2

image

Confira uma sessão da roda de leitura da biblioteca comunitária:

Todas as imagens: Reprodução

Comentários no Facebook

Acessar

Não tem uma conta?
REGISTRAR

Resetar senha

Voltar para
Acessar

REGISTRAR

Logar

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista