fbpx

Shopping tem Papai Noel capacitado para receber crianças autistas


Shopping tem Papai Noel capacitado para receber crianças autistas
PUBLICIDADE ANUNCIE

Enfrentar filas enormes de crianças no shopping para tirar foto com o Papai Noel é uma espécie de tradição familiar na época das festividades de Natal. No entanto, crianças com necessidades especiais, como o autismo, podem passar por situações desastrosas, ou mesmo inexistentes, se os pais optarem por evitar o encontro.

Uma iniciativa não-governamental de inclusão social no Canadá provou que é possível integrar crianças autistas e possibilitar a elas a mesma vivência que todas as outras crianças possuem, inclusive as festividades de Natal, parte das memórias de infância de tanta gente.

Leia tambémJovens autistas do DF formam banda de rock e promovem inclusão social

A ONG Autism Speaks (Autismo Fala) organiza anualmente 15 pontos de encontro para sessões de fotos com ambiente personalizado para as crianças, num encontro especial com o Papai Noel; este, preparado especificamente para a ocasião.

Shopping tem Papai Noel capacitado para receber crianças autistas
(Foto: Reprodução Nick Procailo / Vancouver Sun)

Compreendendo uma gama de condições caracterizadas por dificuldades com habilidades sociais, de fala e de comunicação não-verbal, com sintomas que variam de leve a grave, o transtorno do espectro autista também causa alta sensibilidade auditiva. Por conta disso, as sessões são agendadas com antecedência e realizadas antes da abertura do shopping, para garantir que todo o ambiente seja aconchegante e calmo para as crianças.

PUBLICIDADE ANUNCIE

No entanto, se uma família com criança autista visita o shopping num horário convencional, uma peça azul de quebra-cabeça colada na parede (este o logotipo universal do autismo), é um sinal para os pais de que aquele Papai Noel está preparado e saberá receber a criança do espectro da melhor forma possível – elas também têm preferência na fila.

O bom velhinho contratado pela ONG Autism Speaks acumula oito anos de experiência com crianças autistas. Preparado e prevenido, suas botas não levam sinos na parte de trás, de modo que não façam barulho. Atrás de sua poltrona, brinquedos e livros servem de isca para prender a atenção da criança.

Leia tambémCasal pinta casa com quadro de Van Gogh para filho autista não se perder

Se a música ambiente aparentemente está incomodando a criança, logo é ajustada. “Acredito que todos devem ser tratados com igualdade, especialmente na época do Natal”, disse o Papai Noel ao jornal canadense Vancouver Sun.

Segundo a diretora de marketing da Autism Speak, a iniciativa é um absoluto sucesso. Ela também conta que a ONG oferece financiamento para serviços prestados e pesquisas na área; porém o que mais costuma receber são cartas de papais e mamães de todo o país agradecendo o encontro natalino positivo e as sessões de compras amigáveis com as crianças, sem mais problemas.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Revista Crescer

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar