Urls erradas de sites pornô levam para um site contra a exploração sexual feminina


396 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Você já parou pra pensar do drama vivido pelas mulheres que trabalham na indústria pornô?

As mulheres totalizam 70% das pessoas que contraem DST nessa indústria , 94% dos atos de agressão nos filmes pornôs têm as mulheres como vítimas e a expectativa de vida de uma atriz é de apenas 36 anos.

Para alertar as pessoas sobre isso, o Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde resolveu lançar uma campanha diferente chamada The Unwanted URL (A URL Indesejada, em tradução livre).

Mais de 100 Urls (o equivalente a endereços na internet) semelhantes às usadas por sites pornôs, foram compradas. Quando o usuário erra a digitação, é direcionado para um vídeo com dados importantes que ninguém busca sobre a pornografia. Ao fechar o vídeo, o usuário é automaticamente direcionado à uma busca pronta no Google para “a verdade por trás da indústria pornô”. A criação é da agência Purple Cow.

A produção é da Companhia de Cinema, com direção da dupla Angry. A trilha é assinada pela Play It Again.

 

Hoje, dia 11 de maio, ocorrerá um debate sobre o tema. Para saber mais, acesse a página do evento no Facebook.

Mais informações no site: www.unwantedurl.com

Também  recomendamos esse documentário:

“Hot Girls Wanted”, disponível na Netflix.

 


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista