Bilhete carinhoso para filho que tirou nota vermelha viraliza nas redes sociais

"Mamãe acredita em você!!"


bilhete carinhoso

Essa semana mostramos o poder que um bilhete carinhoso pode causar na vida de uma pessoa, como o da camareira de hotel que deixa bilhetes de boas-vindas para os hóspedes – relembre aqui.

Na última sexta-feira, após mais um dia de aula, o pequeno João Fogaça, de 10 anos, chegou em casa triste e cabisbaixo. Ele tinha motivos para estar assim: duas notas vermelhas no boletim da escola onde estuda, em Araruama (RJ).

A empresária Adriana Fogaça percebeu o ânimo do filho e resolveu tomar uma atitude. Ela deixou um bilhete, junto com chocolates, em cima da cama do menino, reforçando que ela sempre estará ao lado dele, dando apoio.

“Você é um filho maravilhoso e muito inteligente. Vamos nos esforçar juntos para você melhorar a letrinha e estudar mais um pouquinho para as próximas provas. Mamãe acredita em você!! Te amo”, diz o texto.

O efeito de um bilhete carinhoso

A irmã mais velha do pequeno, Eduarda Fogaça, de 16 anos, curtiu a ideia e decidiu compartilhar uma foto do bilhete em sua conta no Twitter. Rapidamente, o post viralizou, alcançando mais de 22 mil curtidas e mais de 8 mil retweets.

“Eu estou espantada com a repercussão, porque achei uma coisa tão bobinha. Coloquei o bilhete com uns bombons e pronto “, afirmou Adriana ao EXTRA.

A mãe entrou no site da escola e viu que João tirava notas boas na maior parte das matérias, incluindo a matemática.

“Sim, matemática é a matéria favorita dele. Já faz uns dois anos que João quer ser engenheiro. Ele gosta de fazer as contas de cabeça, mas tem preguiça de escrever, então começou a fazer caligrafia para melhorar a letra”, contou Adriana. As duas matérias que João precisa melhorar são Redação e História.

A ideia de fazer esse tipo de agrado para os dois filhos foi inspirada pelo seu pai. “Meu pai era um homem muito espirituoso e aprendi isso com ele. Problemas todo mundo tem, mas quando a base é o amor, as tempestadas ficam mais brandas. Meus filhos acabaram sendo assim também, carinhosos”, conclui Adriana.

Foto: Arquivo Pessoal

Comentários no Facebook

Acessar

Não tem uma conta?
REGISTRAR

Resetar senha

Voltar para
Acessar

REGISTRAR

Logar

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista