Escola pública no Piauí supera desafios e coleciona mais de 150 medalhas em matemática


escola pública
172 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Quando falamos em educação, sabemos que existem muitas negligências no Brasil, mas a boa vontade de alunos e professores consegue mudar os rumos dessa história, mesmo diante as dificuldades. É o caso de uma premiada escola pública no interior do Piauí, que supera desafios diariamente e há anos se destaca em matemática.

Os cálculos são sinônimo de motivação na Unidade Escolar Augustinho Brandão, em Cocal dos Alves, um dos municípios mais pobres e com um dos menores índices de desenvolvimento humano do país. Entre seus títulos e méritos estão notas acima da média no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), que desbancam mais de 5 mil instituições públicas e privadas do Brasil, e inúmeras medalhas na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Ao todo, são 153 medalhas conquistadas ao longo dos anos só nesta competição.

Aliás, o Piauí obteve recorde em medalhas de ouro na última edição do evento, somando 11 no total. Além disso, houve 20 medalhas de prata, 64 de bronze e 567 menções honrosas. O Centro de Ensino Médio de Tempo Integral  João Henrique de Almeida Sousa, no bairro Morada Nova – Teresina, é outro exemplo de superação no Estado. Dentro de uma área com alto índice de violência, os alunos conseguem se destacar em provas e competições, com notas altas no ENEM e medalhas nas Olimpíadas de Matemática.

Ampliando os números da Augustinho Brandão ainda mais, a instituição possui prêmios anuais em outras competições de matemática, informática, astronomia, robótica, ciência e língua portuguesa. Os vestibulandos da Augustinho Brandão têm entre 70% e 80% de aprovação nas universidades públicas.

Atualmente, a escola conta com 275 alunos, sendo que quase 100% deles recebem auxílio do Bolsa Família. Filhos de trabalhadores rurais, eles sobrevivem com base do programa social, já que a seca no campo atrapalha a renda familiar há cerca de cinco anos. A maioria dos estudantes ampliam seus conhecimentos em regime integral porque simplesmente querem estar lá.

Tudo começou em 2003, quando um grupo de jovens professores se reuniu para ensinar, mesmo com pouquíssima infraestrutura, na primeira e então única escola de ensino médio de Cocal dos Alves. Em 2011, o governo investiu na construção de uma nova e moderna sede, com direito a quadra poliesportiva, laboratórios, biblioteca e restaurante.

Tornando-se referência no país e no mundo, a instituição é levada a sério por um simples motivo: professores dedicados a ensinar e alunos dedicados a aprender. Segundo os próprios funcionários, não há segredo. É o amor pela educação e pelo conhecimento que faz essa turma estar assim, sempre a frente nos resultados, teimando em fazer diferente para mostrar que o Brasil, quando quer, faz bonito. E muito!

A Buriti Filmes produziu um documentário que investiga casos de sucesso em escolas públicas brasileiras. No episódio 3, você pode conhecer um pouco mais sobre a Augustinho Brandão:

Fotos: reprodução/SEDUC-Piauí



Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista