fbpx

Menino de apenas 12 anos entra na universidade no México

O menino Carlos Santamaría, 12 anos, começou as aulas do curso de Física Biomédica da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) esta semana.


menino entra universidade 12 anos
PUBLICIDADE ANUNCIE

O menino Carlos Santamaría, de apenas 12 anos, começou a frequentar as aulas do curso de Física Biomédica da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) esta semana. Ele se tornou o mais jovem estudante a ingressar na universidade mais importante do país.

Desde o segundo ano, nem faz tanto tempo assim, Carlos achava que o que era oferecido nas aulas não bastava para suprir sua curiosidade. Por isso, aos 8 anos, ele já assistia aulas na universidade e participava de algumas pesquisas como ouvinte. Quatro anos depois, foi oficialmente aceito como estudante.

A Unan definiu o ingresso de Carlos como “histórico”. A instituição já teve alguns estudantes de 15 anos, mas nunca de 12. Na Faculdade de Ciência, onde o garoto irá estudar pelos próximos quatro anos, metade dos alunos começa os estudos com idades entre 18 e 20 anos e um quarto com mais de 26.

“A maior dificuldade para entrar na Universidade foi que os meus pais tiveram que convencer as pessoas a me deixarem fazer as provas do ensino médio e superior, porque elas diziam que com certeza se tratava de uma mentira”, contou Carlos. Ele acertou 105 das 120 questões do exame da Unam – a nota de corte do seu curso é 103.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Em 2016, Carlos já havia recebido um certificado em Química. O prêmio pela conquista foi uma visita à Câmara dos Deputados mexicana. Quando perguntaram se ele queria ser político quando fosse adulto, o menino respondeu sem precisar pensar: “Não, não quero ser como vocês, eu quero ser cientista”, conta o jornal La Jornada.

Leia também!

Universidade do Estado da Bahia cria cotas para transexuais

No CE, filha e pai faxineiro são aprovados juntos em universidade federal

Universidade em RS dá bom exemplo e faz sua primeira colação de grau totalmente inclusiva

Histórico: Universidade Federal de Goiás forma a primeira doutora surda

crédito da foto: UNAM

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar