Página incentiva educação de meninos por meio da gentileza e da igualdade de gênero

Com posts bem humorados, a página apresenta reflexões a partir de situações cotidianas, como por exemplo o bom e velho questionamento sobre garotos fazendo tarefas domésticas, brincarem de boneca ou usarem a cor rosa.


670 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Em pleno 2016, será que ainda existe “coisa de menina” e “coisa de menino”? Quando falamos em equidade, essa história fica pra trás e assim evoluímos. A página Já Falou Para Seu Menino incentiva a educação de meninos por meio da gentileza e de conceitos igualitários de gênero, mostrando que pequenas atitudes dos pais podem fazer toda a diferença no crescimento da criança.

O movimento surgiu das aulas de Empoderamento Infanto-Juvenil, do projeto Escola de Ser (que já falamos aqui), de Goiás, com um olhar para o cuidado com a educação dos meninos, que precisam empoderar-se da sua capacidade de empatia, sensibilidade, de dar e receber carinho e de respeitar os direitos humanos, numa perspectiva de equidade de oportunidades e vivências entre meninas e meninos.

Com posts bem humorados, a página apresenta reflexões a partir de situações cotidianas, como por exemplo o bom e velho questionamento sobre garotos fazendo tarefas domésticas, brincarem de boneca ou usarem a cor rosa. Reeducando os familiares e, consequentemente, a sociedade, projetos como este tem a chance de nos transformar em pessoas melhores, mais coerentes, sensíveis e que não carrega mais os “valores” machistas do passado.

Vamos falar com os nossos meninos?

ja-falou-para-o-seu-menino7

ja-falou-para-o-seu-menino2

ja-falou-para-o-seu-menino6

ja-falou-para-o-seu-menino

ja-falou-para-o-seu-menino5

ja-falou-para-o-seu-menino9

ja-falou-para-o-seu-menino4

ja-falou-para-o-seu-menino3

ja-falou-para-o-seu-menino8

ja-falou-para-o-seu-menino-destaque

Leia também: Escola cria programa para educar meninos fora da cultura do machismo

Fotos: divulgação

[Nota da Redação]

É cada vez mais visível a sensação de total falta de sentido. Desenvolvemos nossas habilidades para executar tarefas e ocupar um cargo, mas pouco fazemos em nome da melhor convivência e da vida em sociedade.

Ainda investimos muito em conhecimentos específicos, muitas vezes desconectados da realidade, com o único objetivo de se vencer etapas: passar de ano, passar no vestibular, entrar numa boa faculdade, conseguir um bom emprego… Tudo isso para quê?

Se você quer tentar encontrar respostas para algumas dessas questões, venha participar de mais um encontro do R:evolucione, no dia 26/07, com Priscila Alvim, consultora especialista em comunicação e que acredita na troca e no diálogo como meios verdadeiros de aprender e ensinar.

Garanta seu ingresso grátis aqui.


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista