Projeto desenvolvido por mãe de alunos estimula o respeito ao próximo, gratidão e positividade em escola de SP

Ação ocorre na instituição que os filhos frequentam e já conta com a participação de 100 crianças


mãe
351 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Tabata Rossi é casada e mãe de três meninos, do Rafael de 10 anos, do Matheus de 8 e do Gabriel de 4 anos. Há 15 anos trabalha com terapia holística, responsável por tratar problemas emocionais que levam a doenças físicas como a depressão, ansiedade e estresse.


Sem tempo para ler? Clique no play acima e ouça essa matéria inspiradora!

A profissional já atendeu centenas de pessoas e percebeu que grande parte dos conflitos dos pacientes eram consequências de traumas desenvolvidos na infância. “Durante as sessões sempre ouvi muitas histórias sobre angústias e frustrações. Adultos que sofrem com baixa autoestima e que desenvolveram esses medos quando eram muito novos. Por esses obstáculos não serem tratados, hoje sofrem com as consequências disso. Seria tudo diferente se pudéssemos aprender alguns ensinamentos desde pequenos”, diz Tabata.

E foi logo no final do ano passado, após participar do Seminário Vida, um evento ao vivo que tem como objetivo ensinar as pessoas a serem mais felizes e realizarem sonhos através de uma reprogramação mental completa, que Tabata deu início ao Projeto Hani.

“Sou aluna do curso A Gratidão Transforma a Sua Vida, criado pela psicóloga Marcia Luz e também participei dos três dias do Seminário Vida, também coordenado por ela. Foi o que conjunto das duas coisas que me fez colocar a ideia em prática. Sempre quis ajudar as pessoas, mas algo estava faltando. Até o dia que conversei com a professora do meu filho sobre a importância de ensinar algumas coisas para as crianças. Algo que não se aprende na escola”, comenta a profissional.

E a partir disso, a profissional decidiu colocar em prática o ‘Projeto Hani’, que ocorre de forma voluntária na Escola Municipal Maria Graciette Dias, localizada no município de Itanhaém, em São Paulo.

Tabata diz: “Na época ainda não estava preparada para assumir o desafio, até que outra professora dos meus filhos soube da minha ideia e resolveu me colocar no conselho escolar este ano. Mostrei o projeto em uma reunião e foi um sucesso. O diretor e os familiares dos alunos adoraram a ideia”.

Para a psicóloga e coach Marcia Luz, “O projeto é simplesmente brilhante. Estou muito orgulhosa de ver que uma das minhas alunas está passando adiante tudo que aprendeu sobre a importância da gratidão. Fico imaginando como seriam os adultos do futuro se toda escola adotasse esse projeto. É realmente incrível!”.

Ação que transforma vidas

Tabata afirma que no início se sentiu uma pouco perdida, apesar de estar muito feliz com a oportunidade, afinal, era a primeira vez que daria aula para crianças. Mas, como era a chance de realizar o seu sonho, ela resolveu seguir em frente e montou todo o programa que hoje atende 100 alunos, com idades entre 7 e 11 anos.

O que é o projeto Hani?

“Hani” é uma palavra grega que significa “feliz”. Tabata achou o termo por acaso, após ficar horas batendo a cabeça ao tentar encontrar um nome diferente e que fizesse sentido para a ação.

O projeto Hani tem como objetivo ensinar valores de gratidão e positividade as crianças. Através da iniciativa, os pequenos aprendem a importância de serem gratos, de não reclamarem da vida, e entendem que os sentimentos deles e das outras pessoas são especiais e merecem respeito.

Para Tabata, “Quero que eles aprendam a lidar com os pensamentos sabotadores, e que saibam dominar qualquer ideia que possa impedir a realização dos sonhos que possuem.  Ensino que cada um possui um grande potencial, e que devem se valorizar. Muitas vezes, colocamos medo em nossos filhos para protege-los, e quando crescem, tornam-se adultos infelizes e inseguros. É importante confiar em si mesmo, e devemos semear e fortalecer essa ideia em nossas crianças”.

E ela completa: “Minha maior motivação foi perceber como é difícil para os adultos fazerem mudanças em suas vidas, inclusive eu, mesmo sabendo que muitas vezes ficar em cima do muro nos causa um grande sofrimento. Podemos e devemos fazer a diferença para que os jovens e adultos não sofram como nós já sofremos”.

Como funciona?

O projeto Hani é dividido em cinco temas, e cada um é discutido em uma aula, menos o último, que está presente em todas elas.

Temas:

1 – Entender que tudo no universo é pura energia

Partindo do princípio da Física quântica de que tudo é energia, podemos ensinar as crianças a importância dos nossos pensamentos e nossos sentimentos.

Se tudo que nos rodeia é energia que tipo de sentimentos e pensamentos podemos ter para atrair coisas boas em nossa vida?

2 – A importância de saber lidar com os sentimentos.

Nessa aula os pequenos aprendem a trabalhar pensamentos e emoções, para que não haja no impulso quando estiverem diante de situações difíceis.

São aplicadas perguntam que eles devem fazer para si mesmos:

·         Por que estou sentindo isso?

·         O que estou pensando?

·         O que está acontecendo comigo para que eu me sinta dessa forma?

3 –  O poder da gratidão

Segundo Tabata, “fomos criados em uma sociedade onde aprendemos ter para ser, e não a ser para ter.  Com isso esquecemos a dar valor as pequenas coisas do dia a dia, coisas que realmente são importantes. Por isso, aprender a importância e o poder da gratidão é um dos temas trabalhados no projeto.

4 – Aprender a reconhecer o melhor em cada um

Nessa aula as crianças aprendem a reconhecer que cada pessoa é diferente, e que precisam aprender a respeitar os limites de cada um. “É muito fácil a gente perceber concorrência entre pessoas e crianças, onde um tenta mostrar que  é melhor que o outro. E se a gente ensinar o oposto?”, diz a profissional.

5 – A Importância de saber silenciar

Os alunos que participam do projeto também aprendem a meditar, e relaxar o corpo e a mente. “Muitos adultos tomam decisões quando estão com as emoções à flor da pele. A ideia desse trabalhar a meditação é ensinar as crianças a trabalharem a mente inquieta”, explica Tabata.

Como funcionam as aulas?

As aulas ocorrem de forma dinâmica uma vez na semana. “Começo fazendo uma introdução do que será aprendido e depois dou um texto, algum exemplo sobre o que trataremos. Fazemos um exercício e logo debatemos sobre o assunto. No final de toda aula é dado uma atividade de relaxamento para eles meditarem sobre o tema apresentado”, resume Terapeuta Holística.

Para melhorar desenvolvimento das aulas, Tabata procura escutar a opinião dos outros professores da unidade, da coordenação da instituição e de amigos que indicam conteúdos e materiais.

A ação ainda está em fase experimental na intuição, começou cerca de dois meses. Ela diz que após o projeto estiver mais sólida, irá apresenta-lo em outras escolas.

Sobre o resultado da iniciativa, ela complementa: “Sinto o carinho das crianças no modo como interagem comigo com as atividades, percebo que muitas não sabem lidar com emoções, mas conseguem expor os sentimentos mesmo que por muitas vezes de tristeza e conflitos. Percebo que a turma é muito grande, por ser uma escola pública e as vezes fica difícil interagir com eles do jeito que eu gostaria, mas alguns me procuram na hora do recreio para conversar e pedir orientação”.

A respeito da prática da gratidão, Tabata salienta: Hoje percebo que depois da gratidão estamos todos mais conectados, existe mais harmonia e compreensão em nosso lar. Quero que isso seja transmitido para outras casas, e que transforme a vida de pais e filhos”.

Fotos: Divulgação

[Nota da Redação]

É cada vez mais visível a sensação de total falta de sentido. Desenvolvemos nossas habilidades para executar tarefas e ocupar um cargo, mas pouco fazemos em nome da melhor convivência e da vida em sociedade.

Ainda investimos muito em conhecimentos específicos, muitas vezes desconectados da realidade, com o único objetivo de se vencer etapas: passar de ano, passar no vestibular, entrar numa boa faculdade, conseguir um bom emprego… Tudo isso para quê?

Se você quer tentar encontrar respostas para algumas dessas questões, venha participar de mais um encontro do R:evolucione, no dia 26/07, com Priscila Alvim, consultora especialista em comunicação e que acredita na troca e no diálogo como meios verdadeiros de aprender e ensinar.

Garanta seu ingresso grátis aqui.


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista