fbpx

Seringueira se alfabetiza aos 71 anos e agora quer fazer faculdade


Nazaré Pereira tem 71 anos de idade e prova que, nunca é tarde para a gente ir atrás de nossos sonhos, construir uma outra realidade e dar novo sentido à vida. Isso porque, foi na última sexta-feira que ela completou o programa de alfabetização “Quero Ler”, do governo, em Cruzeiro do Sul, no Acre. Ela foi uma das 1,2 mil pessoas alfabetizadas pelo programa e fez da oportunidade, apenas o início do sonho. O próximo passo é fazer faculdade, já que ela pretende ser advogada.

Relacionado: Senhora de 94 anos se forma na faculdade: “Tenho muito mais a aprender”

Hoje, Nazaré já está aposentada, mas passou a vida trabalhando como seringueira. Em entrevista ao G1, ela disse que a vontade de saber ler e escrever sempre esteve presente em sua vida: “Nasci e me criei no seringal e nunca tive a oportunidade de aprender a ler. Mas, agora tive através do Quero Ler e não vou parar. Eu tinha muita vontade de aprender a ler, meu sonho era aprender a ler para ser advogada. Tenho fé em deus que ainda serei uma advogada”.

O investimento em educação é essencial para que possamos construir um Brasil mais justo e igualitário e, é com esse objetivo que este programa, que pretende erradicar o analfabetismo no Acre, surgiu. Até o final do ano mais de 60 mil acreanos serão alfabetizados. Nilo da Silva, de 75 anos, também trabalha desde os 8 anos como seringueiro e foi mais um beneficiado com o programa. “Fui criado no mato, não conheci meus pais. Passei a maior parte da vida cortando seringa e só agora depois de velho é que pude estudar. Já aprendi a fazer meu nome e outras coisas. Cheguei aqui na cidade há cerca de 15 anos, tive um derrame e ando com bengala, mas mesmo com toda a dificuldade aprendi muita coisa e já leio até a bíblia”, disse ao G1.

A cerimônia de formatura ocorreu no Teatro dos Náuas e contou com a ilustre presença do governador do estado, Sebastião Viana. Ele, que se orgulha do programa, diz que não tem como não se emocionar: “O coração da gente fica batendo mais forte, fica com esperança de um futuro melhor”. O programa teve início em 2016 e mais duas turmas irão se formar ainda este ano, uma em junho e, a outra em setembro.

Com informações de Só Notícia Boa

Fotos: Adelcimar Carvalho/G1


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar