Com “corrente humana”, banhistas salvam família de 9 pessoas de afogamento em praia nos EUA


corrente humana
4478 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Quando você percebe que alguém está se afogando no mar, a atitude mais segura é procurar um salva-vidas – pois há grandes chances de você também se afogar ao tentar socorrer a vítima.

Mas parece impossível lembrar-se disso quando quem está prestes a se afogar é um ente querido.

Foi o que aconteceu com Roberta Ursrey e sua família, na praia de Panama City na Flórida, no último sábado, dia 08.

Eles estava aproveitando a praia normalmente, até que Roberta percebeu que seus filhos estavam em desespero, gritando que estavam sendo puxados para o fundo do mar pela correnteza, após um banho de mar.

Ela e seus familiares correram para tentar salvar as crianças, mas o mar estava muito forte e acabou puxando eles também, o que fez com que os nove integrantes da família também começassem a se afogar.

Leia também: Garoto escreve apelo comovente em caixa para ninguém levar urso que a mãe não pôde lhe comprar

Isso só não aconteceu porque Jessica Simons e seu marido, banhistas que também estavam na praia, perceberam o que estava acontecendo e correram para salvá-los.

Jessica pegou uma prancha de bodyboard que havia encontrado na areia e entrou no mar em direção a eles, enquanto seu marido construía uma corrente humana. Aos poucos a corrente foi aumentando, com 80 pessoas dando as mãos e conseguindo alcançar uma distância de quase 100 metros.

“Essas pessoas não vão se afogar hoje. Não vai acontecer, nós vamos tirá-las de lá”, foi o pensamento de Jessica quando percebeu o que estava acontecendo.

Algumas pessoas mal sabiam nadar, mas se juntaram para tentar salvar a família.

“Foi algo impressionante de ver. Essas pessoas que nem se conhecem confiando umas nas outras para poder salvar a família”, conta Jessica.

Leia também: Estes presos poderiam fugir, mas salvaram guarda que desmaiou durante o trabalho

A mãe de Roberta sofreu um infarto ao ser resgatada e até pediu que a deixassem e salvassem o restante de seus familiares. Ela foi reanimada, mas continua internada no hospital. Os outros não tiveram ferimentos graves, exceto por um sobrinho de Roberta, que quebrou a mão.

“Eu sou muito grata. Essas pessoas são anjos de Deus que estavam no lugar certo, na hora certa. Eu devo a minha vida e a vida da minha família a eles. Sem eles não estaríamos aqui”, disse Roberta.

Via – Foto: Reprodução Facebook Jessica Mae Simmons


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista