fbpx

Bike Floricultura sem vendedor faz sucesso baseado na confiança

A “Matos Urbanos” vende plantinhas decorativas sem a supervisão de um vendedor.


bike floricultura sem vendedor
PUBLICIDADE ANUNCIE

A Oscar Freire é uma das ruas mais caras de São Paulo. Famosa pelas lojas de grifes internacionais, restaurantes e cafés requintados. Há quatro meses, também é o endereço de uma bike floricultura que vende plantinhas decorativas sem a supervisão de um vendedor.

Baseado na confiança, o negócio é do manobrista Israel Joaquim de Santana, ou “Renato”, como ele gosta de ser chamado. Ele ganhou a bicicleta do seu patrão, a princípio, para vender tapioca, mas o empreendimento não foi pra frente.

“Vendia tapioca lá em Santana, no Carandiru, mas como não tínhamos licença (para funcionamento), tivemos que parar com as atividades”, disse Renato para o Blog da Morango.

Nessa época ele já vendia vasinhos de cactos e suculentas, mas em balanças suspensas no pé de goiaba que tem no seu trabalho. Como o negócio das tapiocas não engrenou, ele passou a mercadoria para a bicicleta e deu vida à Matos Urbanos.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Honestidade não deixa ninguém rico, mas deixa livre…

Uma publicação compartilhada por Matos Urbanos – Garden Bike (@matosurbanos) em

O modelo de negócio é inspirado em uma banca de frutas e verduras que também não tem vendedor. Renato leu uma matéria que falava sobre a banca, montada na beira de uma estrada, e resolveu apostar na ideia.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Bom dia a todos , já estamos funcionando muito obrigado a todos aqueles que deixam suas mensagens de carinho e de esperança por um pais melhor e vamos nessa luta . A honestidade é o primeiro passo para mudanças verdadeiras!!!!!

PUBLICIDADE ANUNCIE

Uma publicação compartilhada por Matos Urbanos – Garden Bike (@matosurbanos) em

Desde então, Renato registrou o sumiço de um único vasinho. Ele não sabe se a pessoa levou de má fé ou se não soube colocar o cartão na maquininha para efetuar o pagamento – muitos idosos frequentam a região e formam boa parte da sua clientela. “Fora isso, não teve nenhum tipo de desonestidade”, afirma.

O manobrista divide a confecção dos vasos com a esposa e os quatro filhos. As vendas complementam o orçamento da família, que andava curto. Renato vende de dois a sete vasos por dia. O sucesso nas ruas repete-se nas redes sociais – são quase 3 mil seguidores no Instagram.

Um dos admiradores mais conhecidos da Matos Urbanos é o chef Alex Atala. Admiração que se revelou em um convite para Renato colocar a bike floricultura na entrada de seu restaurante aos sábados e domingos!

Leia também:

Banca de frutas e legumes na beira da estrada cobra o que você achar justo pagar

crédito das fotos: Reprodução/Instagram @matosurbanos

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar