fbpx

Empresa fatura 20 milhões transformando fraldas usadas em novos produtos

A reciclagem desses itens é um negócio rentável para a empresa e as cooperativas de catadores parceiras e ajuda a preservar o meio ambiente.


Empresa transforma fraldas usadas novos produtos
PUBLICIDADE ANUNCIE

Uma empresa faturou 20 milhões de reais no ano passado reciclando fraldas usadas e embalagens de salgadinhos que iriam parar no lixo.

Com escritório em São Paulo, a Boomera transforma a reciclagem de itens aparentemente sem valor em um negócio rentável para a empresa e as cooperativas de catadores parceiras e retira dos aterros sanitários resíduos que poluem o solo, causam mau cheiro e atraem animais. As informações são do Uol.

Leia também: Menino de 7 anos tem sua própria empresa de reciclagem

Os materiais descartáveis são recolhidos de 100 pontos de entrega (escolas, condomínios e supermercados), 200 cooperativas de catadores e 400 empresas clientes da Boomera espalhados por todo o país.

A fábrica da empresa fica em Cambé, no Paraná. Lá, as fraldas usadas e embalagens de salgadinhos são transformados em resinas para a fabricação de outros produtos, incluindo pallets plásticos, lonas agrícolas e displays de pontos de venda, como balcões e estantes. Novos produtos estão em desenvolvimento.

PUBLICIDADE ANUNCIE

No caso das fraldas usadas, a parte orgânica (fezes e urina) é retirada do plástico e descartada. Só então o plástico vira resina.

O fundador e presidente da empresa, Guilherme Brammer, explica que a empresa faz a chamada “economia circular”, atuando em duas áreas: logística reversa, atendendo empresas interessadas na coleta da embalagem de seus próprios produtos e fazendo a gestão de cooperativas de catadores e engenharia circular, desenvolvendo novos produtos a partir do material coletado e reciclado.

“Empresa atua em toda a cadeia produtiva, desde a pesquisa de qual material o cliente poderá escolher para seus novos produtos, a gestão da logística reversa dos resíduos gerados, a parceria com cooperativas de catadores, até dar nova vida a esses materiais na nossa fábrica e vender os produtos reciclados”, explica Brammer.

Este ano, a previsão da empresa é faturar o dobro do que foi faturado em 2017: 40 milhões de reais. No início, a Boomera tinha apenas dois funcionários, hoje, são 140.

crédito da foto: Divulgação

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar