Abertura da nova temporada de ‘Amor & Sexo’ dá uma aula contra o machismo

"O programa segue como uma aula de comportamento que deveria ser obrigatória à todos.


991 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

“Cansadas de tanta opressão, algumas corajosas mulheres resolveram sair à rua e lutar por mais dignidade”. Essa citação poderia ser dita nos dias atuais, mas se refere aos protestos feitos por mulheres em 1968 no episódio que ficou conhecido como “Bra-Burning”, ou em português ‘a queima dos sutiãs’, com o objetivo de acabar com a exploração comercial realizada contra as mulheres.

Essa foi a principal referência usada ontem na abertura da nova temporada do programa “Amor & Sexo”, da Rede Globo, que aconteceu ontem, 27 de Janeiro.

Fernanda Lima surgiu com uma trupe de mulheres cantando e dançando a música “Piranha“, de Alípio Martins, e em certo momento elas recriaram a queima dos sutiãs, e a a cada peça íntima jogada em um barril, elas falavam palavras de empoderamento, tais como “lugar de mulher é onde ela quiser”,  “a minha roupa curta não é um convite pra você”, e por aí vai. Ou seja, foram literais na explicação para esclarecer conceitos e limpar rótulos na igualdade de direitos. Assista:

Segundo site Observatório da Televisão, o programa não apenas traz para a TV, entretenimento de qualidade como também exerce função social, ainda que este não seja seu objetivo. A discussão sobre sexo, amor, sexualidade e gêneros cabe perfeitamente numa sociedade em constante mudança, e que vive um momento aparente de retrocesso e conservadorismo. Infelizmente falar de sexo ainda é um tabu, e o programa consegue fazer isso de forma divertida e sem ofender ao telespectador tradicional.

O texto de João Paulo Reis continua:

“O programa segue como uma aula de comportamento que deveria ser obrigatória à todos e com certeza seu ponto alto foi a linda homenagem feita por Elza Soares, que cantou junto com Karol Conka. O tema foi sério, e embora tivesse seus momentos de descontração Amor & Sexo provou que mais uma vez consegue tocar em pontos sensíveis e fazer pensar muito mais que fazer rir. Se aos sábados existe vida inteligente na madrugada, a estreia do programa de Fernanda Lima mostrou que pode fazer muito melhor, até mesmo com certa profundidade.

Observação: Em 2015, o Brasil registrou mais de 63 mil relatos de agressões contra a mulher segundo dados da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR).”

Ou seja, cada vez mais um programa necessário para se falar sobre o assunto.


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista