fbpx

Menina indígena de 13 anos é nominada para ‘Nobel infantil da Paz’

Autumn Peltier, aos 13 anos, acaba de ser indicada para o Global Children’s Peace Prize, considerado o ‘Nobel infantil da Paz’.


menina indígena nobel infantil paz
PUBLICIDADE ANUNCIE

A garota indígena Autumn Peltier, aos 13 anos, acaba de ser indicada para o Global Children’s Peace Prize, considerado o ‘Nobel infantil da Paz’. Um reconhecimento mais que especial pelo trabalho que faz em defesa do meio ambiente no Canadá.

Apesar de estar entrando na adolescência, bastante nova, ela já se encontrou com algumas das principais lideranças globais. Peltier já liderou uma marcha em defesa da água e é a responsável por introduzir o primeiro0ministro canadense, Justin Trudeau, na Assembleia Geral das Nações, em 2016, segundo informações do Hypeness.

Leia também: 

Mulher salva 15 mil meninas de mutilação genital no Quênia

Vendedor de água virou palestrante e vai para Harvard

“Eu gosto de dividir a minha ideia de que a água é sacralizada. A Mãe Terra não precisa da gente, nós é que precisamos dela”, destacou a ativista indígena.

PUBLICIDADE ANUNCIE
menina indígena nobel infantil paz
Peltier em encontro com o premiê canadense Justin Trudeau

Autumn consegue facilmente mobilizar pessoas para sua causa. Em novembro do ano passado, para citarmos só um exemplo, ela mobilizou as pessoas para bloquearem uma estrada no Canadá, chamando a atenção para a proteção da água.

A pequena ativista aproveita qualquer brecha para colocar em prática o que acredita. Durante um encontro com o primeiro-ministro canadense, ela manifestou seu descontentamento com as escolas do mandatário. Resultado: Trudeau prometeu mudar de postura.

“Disse que estava muito brava com as escolhas dele. Ele me respondeu dizendo compreender. Eu comecei a chorar e pensar na água”, disse Peltier ao Huffington Post Canadá.

O Global Children’s Peace Prize (‘Prêmio Internacional da Criança’, em tradução livre) elege anualmente uma criança que propõe ações para a defesa dos direitos das crianças e melhora a vida daquelas em situação de vulnerabilidade.

O prêmio foi criado em 2005, durante o Encontro Mundial de Prêmios Nobel da Paz, em Roma, na Itália, com a participação da UNICEF e da Anistia Internacional. Nomes como Desmond Tutu e Bob Geldof já apresentaram a cerimônia.

crédito da foto de capa: Via

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar