Manicure trans faz unhas gratuitamente enquanto conscientiza clientes sobre a transfobia


transfobia
683 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

A manicure e ativista trans Charlie Craggs, de 24 anos, do Reino Unido, teve uma ótima iniciativa para ajudar a combater a transfobia.


Ouça a história da Charlie! Clique no play acima!

Ela faz as unhas das suas clientes gratuitamente, em seu salão itinerante Nail Transphobia (unha transfobia, em tradução literal). 

Was invited to bring my pop up salon to @lcclondon the other day and it was honestly one of my favourite events everrrrrrrr, I literally became best friends with half the people who came to get their nails done (and the boys at LCC are hella fine lol 💦💦) THANK YOU SO MUCH FOR MAKING THIS HAPPEN @theofficialned & @rosemarycronin ❤️❤️ if any other uni’s wanna book me to bring my pop up salon to your campus and tackle transphobia / flirt with your male students hit me up at [email protected] 💅💑 #nailtransphobia #lcc #ual #nails #nail #nailart #nailstagram #nailswag #trans #transgender #transgirl #transsexual #lgbt #lgbtq #transphobia #transactivist #activist #activism #fabulous #fabulousactivism #feminist #feminism

Uma publicação partilhada por Charlie Craggs (@charlie_craggs) a

A ideia surgiu de seu projeto final de curso de moda na Universidade de Artes de Londres, e se tornou um ótimo jeito de promover a conscientização e debate sobre o tema.

A única condição para que isso aconteça é que as pessoas estejam abertas a conversar sobre a realidade das pessoas trans.

“Isso me dá a chance de sentar com pessoas que nunca conheceram um trans e quebrar uma série de equívocos e preconceitos que são resultado da nossa baixa representatividade na mídia”, conta Charlie.

“Quando você digita ‘transgênero’ todo os assuntos estão relacionados a pornografia e taxa de mortalidade. Isso é assustador! A cada 29 horas, uma trans é morta. E eu quis fazer algo em cima disso e mudar este quadro”, completa, segundo o site.

Charlie instala seu salão móvel em diversos locais: festivais, museus, eventos ou qualquer outro lugar que esteja disposto a recebê-la.

Conforme faz a unha da cliente, ela conta um pouco sobre sua vida, suas dificuldades que enfrenta por ser trans e também tira possíveis dúvidas que a pessoa possa ter a respeito do assunto.

“Quero que as pessoas vão embora com mais do que unhas feitas, quero que elas vão embora como aliadas”, diz Charlie em seu site.

Charlie também promove workshops gratuitos para ajudar mulheres trans e pessoas não-binárias a passar pelo processo de transição e se amarem.
Fotos: Reprodução Instagram 

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista