Piauiense é uma das únicas mulheres negras diplomatas no Itamaraty


shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Infelizmente, ainda são poucas as mulheres que ocupam cargos políticos e esse número ainda diminui mais quando falamos de mulheres negras. Porém, Luana Alessandra Roeder tem apenas 28 anos, é negra e uma das poucas diplomatas a ocupar um cargo no Itamaraty, que é o Ministério das Relações Exteriores, em Brasília.

Luana é piauiense e foi abandonada quando nasceu, em Teresina. Logo depois ela foi levada para um Orfanato, onde foi adotada por uma agrônoma alemã, chamada Reinhild Roeder e foi criada entre Barra Grande, litoral do Piauí e Brasília, onde ela vive atualmente.

Sua mãe disse que sempre percebeu que ela tinha uma inteligência acima da média e ainda no ensino médio ela decidiu que queria seguir carreira diplomática. Assim, cursou Relações Exteriores, na Universidade de Brasília, UnB.

E no dia 15 de janeiro, ela foi aprovada em um concurso público do Instituto Rio Branco e tomou posse no Itamaraty. Sua mãe deve estar muito orgulhosa e nós também!

Com informações de Fala Piauí

Fotos: arquivo pessoal


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar