Bia Figueiredo é a única mulher a disputar a Stock Car e foi a primeira brasileira na Fórmula Indy


Bia Figueiredo Stock Car
362 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Se ainda restam dúvidas de que o mundo será dominado pelo público feminino, aí vai mais uma razão para acreditar. Neste ano, Bia Figueiredo é a única mulher a disputar a Stock Car e, antes disso, foi a primeira brasileira na Fórmula Indy. Aos 32 anos, ela segue quebrando paradigmas na modalidade, em alta velocidade.

O interesse por carros despertou logo na infância, quando aos 8 anos pediu para o pai a levar para correr de kart no circuito de Interlagos, em São Paulo. Ali começou, despretensiosamente, uma longa carreira em corridas automobilísticas. Depois ela migrou, para a Fórluma 3 Sul-Americana, A1-GP e a F-Renault Brasil, na qual teve outro marco importante: aos 18 anos de idade, foi a primeira garota a vencer uma provaNo Estados Unidos, a profissão ganhou ainda mais fôlego. Além de encontrar outras mulheres no esporte a motor, como Danica Patrick, teve suporte o suficiente para mergulhar de cabeça na competição Indy Lights, em 2008, onde ganhou o prêmio de estreante do ano. Os troféus não pararam por aí, e no seguinte ela venceu outras duas provas, até chegar a categoria principal, em 2010.

Depois de uma temporada na terra do Tio Sam, retornou ao Brasil em 2014 e segue na Stock Car, pilotando junto com os outros atletas e reinando como a única mulher no grid. Mas ela destaca que ter outras mulheres na profissão e no meio automobilístico – como engenheiras e mecânicas – é importante. “Fico orgulhosa de mostrar às famílias brasileiras que tem uma mulher correndo, para ter meninas que possam chegar no topo, como eu cheguei”, contou em uma entrevista.

Vale na sua vida

E você sabia que sem o ferro isso tudo seria impossível? O minério, do qual a Vale é a maior produtora do mundo, dá origem às chamadas pelotas, pequenas bolinhas que são essenciais na fabricação do aço, matéria-prima essencial do carro.

Além disso, o ferro ainda ajuda a proteger os pilotos. Ele é usado no guard-rail, barra de proteção colocada na área de escape da pista, e no Santo Antônio, um tipo de gaiola que evita atritos com a cabeça do piloto se o carro capotar.

Leia também: A importância da pesquisa de abelhas no trabalho de produção de mel do Seu Luiz no Pará

Crédito de foto: Divulgação Stock Car

[Nota da Redação]

Essa matéria faz parte de um canal especial mostrando o outro lado de histórias que não imaginávamos, para ver todas as matérias do canal acesse aqui.



Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista