Esclerose múltipla não impediu Miguel Rocha de ser campeão de bodysurf

O campeão temeu o pior e chegou mesmo a pensar que nunca mais poderia surfar.


834 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

Por Filipa Araújo

kickanteEm janeiro deste ano o feed de notícias do Facebook ficou inundado com a hashtag #vaidartudocerto. Em vários post’s as pessoas partilhavam palavras de incentivo e coragem e tagavam Miguel Rocha, o mais recente campeão de bodysurf de Portugal.

  • O livro Seu Sonho tem Futuro veio para que você viva seu sonho e crie renda extra, sem gastar dinheiro próprio!

O herói, o “Migas”, de 33 anos, descobriu, meses antes da competição nacional, que sofria de esclerose múltipla. Só aqui a história já é suficientemente boa para ser inspiradora, mas a coisa melhora. Acreditem. Numa entrevista à media portuguesa o Migas explica que foram os amigos que o salvaram. O campeão temeu o pior e chegou mesmo a pensar que nunca mais poderia surfar.

“Caiu o mundo aos meus pés, não sabia se ia continuar a competir, se ia continuar a andar. Não sabia nada, foi um choque”, relembrou, apontando que foram os amigos que começaram a pesquisar sobre a doença crônica e degenerativa e mostraram que há sempre esperança.

Com o coração restabelecido, Miguel não desistiu do seu sonho e mesmo treinando menos do que aquilo que gostaria chegou ao pódio e ergueu a taça. Com ele estava também a imensa claque que o seguiu, fosse onde fosse. Foi na praia da Vagueira, no município de Vagos, no centro de Portugal, local onde mora Miguel Rocha, que o campeão sentiu o poder do amor.

“Se eu tivesse sonhado não teria sido tão perfeito. Tive o grande apoio da minha claque, “Os Vagueirudos”, que me acompanha para todo o lado. Nesse dia, eles eram à vontade 50 elementos e transmitiram-me muita força. Por vezes, usam potes de fumo e megafones, e quando estou na água fazem tanto barulho que parece que até estou a fazer uma nota máxima. Ou seja, para além de me apoiarem, também desconcentram os meus adversários. Entrar para a final e avistar essa gente toda no pontão… nem sei o que dizer, foi uma sensação única e irrepetível “, relatou à media.

Sempre de sorriso na cara e, se possível, dentro de água, Migas admite que é preciso “espírito positivo” para encarar esta doença sempre muito imprevisível. Até agora, Miguel Rocha teve dois surtos que lhe afectaram a visão, mas ele, e o mundo, espera que nenhum outro surto surja. A doença fez com que o Migas desse “mais valor à vida”, a ele e a todos aqueles que conhecem sua história.

Migas é campeão no mar e na vida e não podia estar mais feliz ao perceber que a sua história, e dos seus amigos, serve de inspiração ao mundo. #deutudocerto!

Foto de capa: BodySurf Ride

E se você também tem um sonho, este livro te ajudará a dar o próximo passo.


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista