fbpx

Estudante é aprovado no MIT e vende trufas para pagar despesas

Robson tinha dificuldades de aprendizagem na infância. Anos depois, o estudante seria aprovado em um curso de férias no MIT.


estudante brasileiro aprovado MIT vende trufas
PUBLICIDADE ANUNCIE

Robson Vinicius de Amorim Silva tinha dificuldades de aprendizagem na infância. Era difícil acreditar que anos depois o estudante seria aprovado em um curso de férias no Instituto de Tecnologia de Massachussetts (MIT), nos Estados Unidos.

O jovem de 18 anos agora vende trufas na bicicleta que apelidou de “food bike” para pagar algumas despesas da viagem. Ele pretende levantar cerca de 3 mil reais para os gastos com alimentação e documentos, segundo informações do G1.

Além da vaga, Robson conseguiu da instituição 98% da bolsa, estadia e ganhou as passagens de ida e volta da escola onde estudou. Durante o LaunchX, nome do curso de férias, os estudantes participantes serão assessorados por especialistas e empreendedores. A ideia é que eles saiam do curso com uma startup pronta para entrar no mercado.

estudante brasileiro aprovado MIT vende trufas
Robson vende trufas na bicicleta para pagar algumas despesas da viagem

No momento, o estudante de Suzano (SP) prepara o pré-work do projeto, quando deve direcionar as áreas de interesse, e definir uma série de prováveis projetos. Robson afirma que suas principais áreas de interesse são robótica móvel e realidade virtual.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Nem parece o menino que tinha dificuldades para juntar sílabas e precisou do acompanhamento de uma psicopedagoga. E se ele foi aprovado em um dos institutos de tecnologia mais renomados do mundo, no passado, Robson chegou a ser recusado em alguns colégios.

“Eu sou professora e na época eu fiquei bastante triste com a situação, porque parecia que eu não estava me dedicando na educação do meu filho”, lembra a mãe Ana Silva Galvão Amorim Silva.

Apaixonado por robótica, Robson decidiu estudar em universidades americanas, as melhores nesse ramo. A primeira tentativa foi em 2017, para um curso na universidade de Stanford, na Califórnia. Ele não conseguiu a vaga, mas ficou em uma lista de espera, pois teve um bom desempenho nos testes.

Em seguida, Robson tentou o MIT e, desta vez, passou direto. O processo seletivo foi composto por formulários com a descrição das atividades extracurriculares, simulações de investimentos, histórico escolar e habilidades dele com o empreendedorismo, um vídeo totalmente em inglês contando sua história de vida e, por fim, uma entrevista em inglês com a organização do programa.

Foto © Robson Vinicius Amorim Silva/Arquivo Pessoal/Reprodução

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar