Goleiro da seleção do Irã morou na rua antes de ser atleta profissional

Uma vida dura antes de se tornar jogador de futebol profissional e representar seu país no maior evento esportivo do mundo.


Irã jogador

O goleiro do Irã, Alireza Beiranvand, já foi morador de rua, entregador de pizza, lavador de carros e gari, antes de se tornar jogador de futebol profissional e ser fundamental na vitória de sua seleção sobre o Marrocos na Copa da Rússia, no jogo de estreia.

Beiranvand nasceu nas montanhas de Lorestão, na região oeste do Irã. Segundo uma matéria do Globo Esporte, ele é o filho mais velho de uma família de pastores e fazia longas viagens pela pastagem das montanhas em busca de alimento para o rebanho de ovelhas.

Quando ele não estava cuidando do rebanho, nas horas de descanso, jogava futebol. Outro passatempo de Beiranvand era o “Dal Paran”, uma brincadeira de arremessar pedras o mais longe que os braços pudessem alcançar.

Aos 12 anos, a família do garoto decidiu se estabelecer na cidade de Sarabias, onde havia um clube de futebol. Beiranvand, então, começou a treinar no clube, na posição de atacante. Porém, como o goleiro da equipe teve uma contusão, ele mudou de posição – contra a vontade do pai, que sonhava com um filho artilheiro.

“Meu pai não queria que eu jogasse futebol e me pediu para trabalhar. Ele até mesmo rasgou o meu uniforme e as minhas luvas, aí tive que agarrar só com as mãos, várias vezes”, contou Alireza Beiranvand, ao jornal The Guardian.

“Passei por muitas dificuldades para fazer meus sonhos virarem realidade, mas não tenho intenção alguma de esquecê-las, porque elas me fizeram quem sou hoje.”

O sonho de ser jogador profissional era tão grande, que o jovem Beiranvand fugiu de casa, para fazer um teste em um clube maior de Teerã, capital do Irã. Na viagem de ônibus, ele conheceu um técnico, Hossein Feiz, que lhe garantiu uma oportunidade “paga” para treinar.

Sem muito dinheiro para bancar sua hospedagem, a solução foi dormir perto da Torre Azadi, junto com outros pobres imigrantes. Tiveram noites em que seu único refúgio era a porta do clube onde ele treinava. Finalmente, a oportunidade para treinar veio, junto com o abrigo na casa do capitão do Naft Teerã.

O goleiro conseguia pagar pela hospedagem com o dinheiro que ganhava trabalhando em uma fábrica de roupas, depois num lava-jato, como entregador de pizza e varrendo rua. Isso até ele ser promovido à categoria sub-23 do time que defendia e transformar sua vida para sempre.  

Beiranvand teve uma ascensão meteórica: em 2015, ele se tornou o titular do gol do Irã e foi peça importante para classificar o país para a Copa do Mundo. Ele não sofreu nenhum gol nos jogos das Eliminatórias.

A estreia no mundial da Rússia seguiu o roteiro: nenhuma bola nas redes de Beiranvand. Esse é o segundo triunfo do Irã na história das Copas, graças a um goleiro que fez de tudo um pouco antes de representar seu país no maior evento esportivo do mundo.

Foto de capa © League Persian


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar