Idosos em casa de repouso de SP revivem memórias de suas vidas com a realidade virtual


idosos memórias
18 shares Compartilhar Tweet WhatsApp

À medida em que a idade vai avançando, os esquecimentos se tornam constantes mas as lembranças mais longínquas parecem vir à tona o tempo todo. Agora imagine se desse para voltar em algum lugar importante da sua vida sem sair de onde está? Os idosos do Solar das Mercedes, uma casa de repouso em SP, reviveram memórias com ajuda da realidade virtual, em uma ação feita pelo Razões para Acreditar e a Intel.


Ouça essa emocionante matéria! Clique no play acima!

A nossa visita começa com Vito Baraba, paulistano nascido no Brás. Sua história já começa um tanto curiosa: ele morava na rua São Vito, próxima à Paróquia São Vito Mártir, santo que deu origem ao seu nome. “E também tem a festa de São Vito, que é na rua. Todo ano tem, em junho, mas nesse eu não fui. O pastel que eles fazem é grandão, muito bom!”, nos contou.

Mesmo vivendo na Lapa há 76 anos, seguiu com boas lembranças de seu berço e das festividades promovidas pela colônia italiana. Aliás, não é à toa que no Brás a família se sentia em casa. “Tenho parentes em Bari, uma comunidade lá na Itália e sou filho de italianos. E Palmeirense!”. O torcedor exemplar é sócio do clube há 40 anos, o mesmo tempo em que permaneceu casado e foi taxista, profissão da qual sente falta. “Meu primeiro carro foi um Fusca branco dado pelo meu pai. O trânsito de São Paulo era uma beleza!”, comentou, relembrando as ruas bem mais tranquilas do que atualmente.

realidade virtual memórias
Gilda experimentou desenhar um vestido novamente, com ajuda da realidade virtual.

As saudades da profissão também aparecem para Gigi, apelido da costureira Gilda Mithelucci, de 91 anos. Apaixonada pelo ofício, recorda claramente dos 74 anos em que permaneceu atrás de uma máquina de costura e ainda guarda seus croquis. “Comecei aos 14 anos em aulas de corte e costura. Me dediquei muito e ainda tenho muita paixão por isso. Ao longo da vida fiz 50 vestidos de noiva! Cheguei a fazer um inteiro de veludo, é lindo!”.

Não se casou de véu e grinalda, mas tinha um verdadeiro prazer em levar às noivas até a porta da igrejas como a Nossa Senhora do Brasil, a Nossa Senhora da Esperança e a Paróquia Perpétuo Socorro. “Ah, eu me emocionava, arrumava todas elas antes da entrada. É muito bonito, né. Depois da viagens das noivas, elas sempre traziam algum dedal pra mim. Tenho dedais do mundo todo”.

Por causa das óperas que ouvia, de Andrea Boccelli e Pavarotti, Gilda tinha vontade de conhecer a Itália, mas nunca teve a oportunidade. Ainda assim, ficava contente de ouvir as clientes contando sobre seus passeios no país europeu.

Dá uma olhada no vídeo e descubra como foi a surpresa para Gilda e Vito:

A realidade virtual promove uma conexão com o passado, um encontro íntimo que une o presente e as memórias que cada um deixa guardado na caixinha. É um exercício de resgate das raízes e dos momentos inesquecíveis. Para o pessoal do Solar das Mercedes foi, também, uma novidade, um contato com o “futuro” que eles sequer sabiam que existia. Já imaginou quantas experiências a tecnologia pode proporcionar para você?

Veja as outras matérias e vídeos que produzimos para o canal Tecnologia & Vida aqui.



Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista