Lâmpada movida a algas dispensa eletricidade e ainda ajuda a despoluir o ar

A invenção da lâmpada movida a algas, capaz de despoluir ambientes e de produzir luminosidade sem uso de eletricidade foi inventada pelo bioquímico francês Pierre Calleja.


169 shares Compartilhar

A invenção da lâmpada movida a algas, capaz de despoluir ambientes e de produzir luminosidade sem uso de eletricidade foi inventada pelo bioquímico francês Pierre Calleja.

O objetivo do bioquímico é ousado: substituir as lâmpadas tradicionais em espaços públicos ou garagens.

Como dissemos, a lâmpada não pende de energia elétrica e sua capacidade energética é incrivelmente potente. A luminosidade é gerada pela fotossíntese de algas verdes brilhantes.

w704-1

O processo acontece dentro de um tubo cheio de algas, que realizam a fotossíntese naturalmente, produzindo luminosidade. O CO2 da reação vem do ambiente exterior.

Calleja garante que uma lâmpada sozinha é capaz de absorver anualmente, em média, uma tonelada de carbono, que equivale à quantidade capturada por 150 a 200 árvores.

Funcionário da empresa FermentAlg, ele sugere que o sistema seja usado em áreas públicas, pois pode ajudar a diminuir os gastos com eletricidade e, de quebra, reduzir os níveis de poluição. Dois benefícios em um mesmo sistema é tudo o que precisamos!

Com informações do CICLOVIVO / Todas as imagens: Divulgação


Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar
Escolher um formato
História
Lista