fbpx

Pela primeira vez robô é usado para retirar um ‘tumor inoperável’ de menina de 6 anos


De todos os avanços que a tecnologia pode trazer para as nossas vidas, talvez na área da saúde seja um dos mais importantes e essenciais. No mês passado, em Melbourne, na Austrália, uma cirurgia representou um verdadeiro marco neste sentido, já que a tecnologia robótica foi usada pela primeira vez para retirar um tumor no cérebro de Freyja Christiansen, uma menina de apenas 6 anos, que vive com sua família na cidade de Camberra, também na Austrália.

Foi de repente que sua mãe percebeu um caroço no pescoço dela, enquanto ela brincava com as outras duas irmãs. Passando a mão nos cabelos de Freyja, ela viu que tinha alguma coisa errada e decidiu levá-la no médico. Foi assim que descobriu que era muito mais sério do que imaginava.

No início, os médicos acharam que o ela tinha um melanoma raro, somente encontrado em adultos e seu caso chegou a ir para a Harvard Medical School, nos Estados Unidos, com o objetivo de compreender melhor o tipo de câncer que ela tinha e encontrar o melhor tratamento. Mas, em 2016, ela foi diagnosticada com um sarcoma raro perto da base do crânio e outros tumores na cabeça e no pescoço, no entanto, a localização do tumor em seu cérebro era tão crítica que os médicos se recusaram a operá-la. Entre uma artéria principal e a base de seu crânio, a cirurgia representava sérios riscos e desafiava a classe médica.

Devido à recusa dos médicos, a garotinha passou por um tratamento de imunoterapia, que levou à diminuição dos tumores, mas a família ainda buscava por uma solução de longo prazo, então começaram a procurar um médico disposto a correr este risco. Assustada com a quantidade de drogas que a menina estava recebendo durante o tratamento, doses comparadas com a de um adulto, a preocupação de sua mãe era se o tratamento falhasse: “É obviamente aterrorizante porque eles estão prestes a enchê-la de drogas que um adulto tomaria e eles não sabem se vai funcionar”

Assustada com o futuro de sua filha e com o diagnóstico de que provavelmente ela teria apenas mais 12 meses de vida, a família chegou a fazer uma campanha de financiamento coletivo na Internet, com o objetivo de arrecadar 500 mil dólares, destinados a um tratamento com prótons que destroem as células cancerígenas, disponível apenas na Alemanha.

Como este tratamento não era feito na Austrália, a única opção seria uma cirurgia, mas seria tão arriscado, que os médicos continuavam recusando. A família chegou a mudar para Sidney enquanto a garota passava pelo tratamento de imunoterapia e algumas celebridades chegaram a ajudar a família arrecadar dinheiro, como Bruce “Hoppo” Hopkins, estrela da série australiana Bondi Rescue, exibida pelo canal Ten.

Freyja é fã da Mulher Maravilha e sua história repercutiu tanto que a atriz Gal Gadot, famosa por interpretar a super heroína, também chegou a fazer uma postagem em seu Facebook, mandando “saúde, sorte, amor e que você seja sempre feliz”, enquanto ela estava hospitalizada, em Sidney. Em entrevista ela chegou a dizer que considerava a menina extremamente corajosa.

Foi então que, o Dr. Ben Dixon, residente do Hospital Infantil de Boston, nos EUA, concordou em realizar a operação e contou com a ajuda impecável de um robô, que entrou pela boca de Freyja. Apesar do pós operatório ser bastante incômodo, pois ela necessita de sondas para se alimentar, o médico afirma que ela está se recuperando muito bem e não teve nenhum problema de inchaço em suas vias aéreas, uma de suas maiores preocupações.

“Freyja tinha um tumor entre sua garganta e sua artéria carótida logo atrás do palato em um local muito complicado, assim como vários outros tumores ao redor da região da cabeça e pescoço, e é esse tumor em particular que as pessoas ficaram bastante preocupadas em operar. Esta é a primeira vez que a cirurgia robótica foi feita em uma criança na Austrália. Isso foi feito em outros lugares em outros países, mas apenas algumas vezes para tumores malignos e nenhum nesta posição”, comemora o Dr. Dixon.

Não é somente o corajoso médico que tem comemorado o sucesso da operação de Freyja. A família está confiante e a partir de agora ela voltará a ser tratada pelos médicos de Melbourne através da imunoterapia. Ansiosa para voltar para casa, a garota diz que voltará a nadar e, em breve a andar a cavalo, que ela tanto gosta.

Sua mãe, Liz Christiansen, diz que acredita que o que aconteceu foi um verdadeiro milagre, já que 6 semanas após ter descoberto o tumor da filha, encontrou um médico disposto a operá-la: “Fomos atrás de muitos médicos, perguntamos, imploramos, tentando fazer o que pudéssemos para encontrar uma solução – porque nos disseram que era inoperável, incurável. Então, quando você ouve essas palavras, o que você faz? Você não desiste”.

 

Com informações de: Good News Network

Fotos: ABC News / Darren Paterson Photography


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar