fbpx

Sem-teto tem a vida transformada depois que ele ofereceu seu edredom para casal que passava frio

Vendo que os dois estavam passando bastante frio, o sem-teto ofereceu seu edredom e um casaco para aquecê-los.


Esta história tem todos os ingredientes de um conto de Natal, mas ela aconteceu neste mês, em Londres. Fazia bastante frio quando um casal havia acabado de perder o último trem da noite. O casal teria que esperar por mais de quatro horas para pegar o próximo carro.

Perto deles, estava um morador em situação de rua. Vendo que os dois estavam passando bastante frio, ele ofereceu seu edredom e um casaco para aquecê-los.

Charlotte Ellis e Taylor Walden, ambos com 22 anos, ficaram comovidos com o gesto do morador e decidiram lhe oferecer um cama em sua casa. O caso aconteceu no dia 4 de janeiro. Charlotte contou a história no seu perfil no Facebook após Joey conseguir um emprego e sair das ruas.  A publicação tem mais de 3 mil curtidas e quase 2 mil compartilhamentos.

 

“Uma voz atrás de mim disse: ‘Você pode pegar meu casaco e meu edredom emprestados. É uma longa espera e faz muito frio esta noite’. Eu me virei e vi Joey pela primeira vez. Pulei na mesma hora para debaixo do edredom e agradeci o gesto enquanto Taylor me olhou com aquela cara”.

O casal e Joey viraram bons amigos e até jogam Playstation juntos. “Agora ele não está vivendo nas ruas. Tudo o que ele precisava era que alguém tivesse fé nele e fizesse diferença na vida dele. Ele é o mais incrível, interessado e maravilhoso humano que nós já conhecemos, e sou muito abençoada de ter sido parte desse processo de tirá-lo das ruas (…) Doe um pouco do seu tempo. Não custa nada”, aconselhou a jovem.

nintchdbpict000293957916

Charlotte explicou os motivos para ter levado o sem-teto para sua casa. “Havia algo tão sincero nele que eu não poderia deixá-lo sozinho. Ninguém merece estar na rua nessas condições. Não digo que você deveria confiar em todos que você conhece na esquina, mas em quem exatamente você devia confiar?”, contou Charlotte, que ainda precisou lidar com o julgamento das outras pessoas por levar um desconhecido para casa.

Só porque alguém mora na rua não quer dizer que é pior do que eu ou você. Sem-tetos não são drogados ou alcoólatras, nem todos os moradores deveriam ser tachados como más pessoas. Eles são como eu e você”, finalizou.

Veja também: Ex-morador de rua distribui mais de 1,5 mil marmitas para desabrigados em Porto Alegre

Com informações do EXTRA / Fotos: Reprodução/Facebook

Aqui no Razões, acreditamos que as crianças são o futuro de nosso país, por isso pedimos para elas escreverem sobre seus sonhos, vejam o que elas fizeram:


Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar