Programa de conservação lança 1 tonelada de sementes no Vale da Ribeira, em SP

Que notícia boa para este finalzinho de 2020! No dia 16 de dezembro, 1 tonelada de sementes foi lançada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Quilombo Barra do Turvo, extremo sul do Vale do Ribeira. A iniciativa faz parte de um programa de conservação que tem como objetivo reflorestar uma área equivalente a 20 estádios de futebol.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sementes vale do ribeira 1
Foto: Saulo Souza

O Vale da Ribeira fica no estado de São Paulo e o lançamento das sementes foi feito através de cinco sobrevoos de helicóptero. Segundo o pesquisador científico Ocimar Bim: “Cada fragmento possui 20 subparcelas de 100 m², onde foram instalados coletores de 2m² para a captação das sementes lançadas”, explicou.

sementes vale do ribeira 2
Foto: Saulo Souza

A espécie escolhida foi a Palmeira-Juçara, não somente pela ausência na região, mas porque a planta serve como alimento para mais de 68 espécies de animais. O objetivo da Fundação Florestal é reaplicar técnica conhecida como “chuva de sementes” para repovoar, em 10 anos, 48 mil hectares da região. Como você pode ver, este é apenas o início!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sementes vale do ribeira 3
Foto: Saulo Souza

O programa

O Programa de Conservação da Palmeira-Juçara foi criado pela Fundação Florestal diante da exploração ilegal e ameaça de extinção desta palmeira. Portanto, a medida não é apenas resolve a questão do desmatamento, como oferecerá um habitat mais digno aos animais que moram na reserva e foram fortemente afetados pelas ações do homem das últimas décadas.

“Esta é mais uma ação em prol da retomada da espécie na Mata Atlântica. Os animais que se alimentam de seu fruto acabam levando as sementes para áreas distantes o que aumenta o seu potencial de disseminação nos nossos remanescentes florestais”, explicou o gestor da RDS Quilombo Barra do Turno, Wagner Portilho.

A exploração ilegal do palmito fez com que todas as palmeiras da região paulista desaparecessem, deixando espécies como tucanos, jacutingas, jacus, sabiás, cotias, antas, catetos, esquilos e outras sem comida. Iniciativas como esta são fundamentais para a manutenção da biodiversidade da Mata Atlântica, que depende de ações de fiscalização e, claro, reflorestamento!

Fonte: Ciclo Vivo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,839,934SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Michael Jordan doa mais de 8 milhões para vítimas do Florence

Maior nome da história do basquete mundial, Michael Jordan também faz bonito fora das quadras.

[VÍDEO] Encorajada pela mãe, menina sem uma das pernas sobe morro de terra sozinha

Antonella Funghetto, 3 aninhos, foi a protagonista de um vídeo cheio de coragem de determinação. Por usar uma prótese na perna esquerda, ela acabou...

Com receio de câncer, Angelina Jolie faz cirurgia para retirar os seios

A atriz Angelina Jolie declarou que passou por uma dupla mastectomia preventiva, uma cirurgia para retirada dos seios. A revelação foi feita em um artigo...

Menina de 9 anos ensina vendedor de picolé de 68 a ler e escrever no Ceará

Francisco Santa Filho, 68 anos, popularmente conhecido na comunidade como "Zezinho", é o retrato dos numerosos e profundos contrastes sociais brasileiros. O idoso trabalha como...

Gerdau promoveu primeiro Hackathon de Construção Civil para comunidades no Brasil

A Gerdau apoiou entre os dias 17 e 19 de novembro, o primeiro Hackathon da construção civil para comunidades em Recife, o Hack.Habite, uma...

Instagram