Programa de conservação lança 1 tonelada de sementes no Vale da Ribeira, em SP

0
1326
sementes vale do ribeira

Que notícia boa para este finalzinho de 2020! No dia 16 de dezembro, 1 tonelada de sementes foi lançada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Quilombo Barra do Turvo, extremo sul do Vale do Ribeira. A iniciativa faz parte de um programa de conservação que tem como objetivo reflorestar uma área equivalente a 20 estádios de futebol.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sementes vale do ribeira 1
Foto: Saulo Souza

O Vale da Ribeira fica no estado de São Paulo e o lançamento das sementes foi feito através de cinco sobrevoos de helicóptero. Segundo o pesquisador científico Ocimar Bim: “Cada fragmento possui 20 subparcelas de 100 m², onde foram instalados coletores de 2m² para a captação das sementes lançadas”, explicou.

sementes vale do ribeira 2
Foto: Saulo Souza

A espécie escolhida foi a Palmeira-Juçara, não somente pela ausência na região, mas porque a planta serve como alimento para mais de 68 espécies de animais. O objetivo da Fundação Florestal é reaplicar técnica conhecida como “chuva de sementes” para repovoar, em 10 anos, 48 mil hectares da região. Como você pode ver, este é apenas o início!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sementes vale do ribeira 3
Foto: Saulo Souza

O programa

O Programa de Conservação da Palmeira-Juçara foi criado pela Fundação Florestal diante da exploração ilegal e ameaça de extinção desta palmeira. Portanto, a medida não é apenas resolve a questão do desmatamento, como oferecerá um habitat mais digno aos animais que moram na reserva e foram fortemente afetados pelas ações do homem das últimas décadas.

“Esta é mais uma ação em prol da retomada da espécie na Mata Atlântica. Os animais que se alimentam de seu fruto acabam levando as sementes para áreas distantes o que aumenta o seu potencial de disseminação nos nossos remanescentes florestais”, explicou o gestor da RDS Quilombo Barra do Turno, Wagner Portilho.

A exploração ilegal do palmito fez com que todas as palmeiras da região paulista desaparecessem, deixando espécies como tucanos, jacutingas, jacus, sabiás, cotias, antas, catetos, esquilos e outras sem comida. Iniciativas como esta são fundamentais para a manutenção da biodiversidade da Mata Atlântica, que depende de ações de fiscalização e, claro, reflorestamento!

Fonte: Ciclo Vivo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.