A trajetória inspiradora do africano que saiu da extrema pobreza para se tornar médico em Harvard

A história de Desmond Jumban, de 27 anos, se tornou viral após um “antes e depois” publicado no Twitter.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ele mostrou como saiu de Camarões, onde vivia na extrema pobreza, e se tornou estudante de medicina em Harvard. E é verdadeiramente inspirador!

Jovem se forma em Harvard
Foto: arquivo pessoal

Vaquinha para jovem morador de periferia continuar com seu projeto de dar aulas de reforço para crianças. Faça a sua contribuição!

Trajetória inspiradora

Desmond publicou seu “antes e depois” da vida no Twitter, em 11 de outubro. De lá pra cá o post tem tido um alcance cada dia maior.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ele mostra duas fotos. Na primeira a casa bastante humilde, onde ele morou desde os cinco anos, em Yaoundé, Camarões. Na segunda imagem, seu crachá de médico pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Veja o post:

Desde que saiu do seu país com o propósito de se formar em medicina, Desmond só acumulou conquistas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Hoje ele é consultor de Políticas de Saúde de uma ONG que cuida de pessoas com lábio leporino, chamada “Operação Sorriso”.

Desmond também se formou em ciências biológicas na Taylor University e tem um Mestrado em Saúde Global pela University of Notre Dame.

Jovem se forma em Harvard
Foto: arquivo pessoal

Além da sua formação, Desmond passou três anos trabalhando na Harvard Medical School no Programa de Cirurgia Global e Mudança Social. Ele foi assistente de pesquisa, analista de políticas de saúde e coordenador de projetos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Uma verdadeira inspiração, não é?

Jovem se forma em Harvard
Crachá de Jovem de Desmond, como médico em Harvard. Foto: arquivo pessoal

Viral

Depois da sua publicação no Twitter viralizar, Desmond recebeu centenas de comentários e elogios. Muita gente falou que ele era uma grande inspiração e exemplo para quem estava na dúvida sobre os seus sonhos.

Ele ficou bastante emocionado com todas as mensagens deixadas em seu perfil e fez questão de agradecer.

Este Tweet está incompleto sem reconhecer as pessoas que acreditaram em mim e que fizeram sacrifícios para que eu pudesse chegar onde estou. Minha mãe, meu pai, tias, tios, família, amigos, professores, professores universitários e até estranhos. Uma longa lista. Tenho a responsabilidade de informar isso”, escreveu na publicação.

Jovem se forma em Harvard
Foto: arquivo pessoal

Chegar a Harvard nunca foi meu sonho ou propósito. Eu nunca tinha ouvido falar em Harvard.”, contou Desmond.

Meu objetivo sempre foi encontrar o melhor caminho para adquirir habilidades e capacidades para melhorar os sistemas de saúde pra pessoas na África. Harvard acabou sendo uma rota para chegar lá”, concluiu.

Parabéns, Desmond!

Fonte: A Soma de Todos os Afetos

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,429,587SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Imagens de sofrimento deixam de ser foco em campanhas de doação no Brasil

“Resolvemos tirar o foco do sofrimento que essas pessoas passam para dar mais ênfase ao impacto positivo que uma doação eficiente causa”, explica Rafael Rodeiro, CEO da startup Ribon.

Idosa que aprendeu a ler e escrever aos 63 anos vence concurso literário e dá exemplo: nunca é tarde!

Nunca é tarde para aprender a ler e escrever. Nem mesmo para vencer um concurso literário. Essa é a inspiradora história de uma idosa...

Cientistas criam aparelho que extrai água até mesmo do ar do deserto

E mais uma vez, viva a tecnologia! Isso porque, cientistas e pesquisadores do MIT - Instituto de Tecnologia de Massachusetts e da Universidade de...

Show de luzes natalinas inspira menina autista de 13 anos a falar pela 1ª vez

Kaitlyn Figueroa Lopez, 13 anos, nunca havia dito uma palavra em toda a sua vida – até que algumas luzes de Natal a estimulassem...

Aos 12 anos, ele já tinha plantado 1 milhão de árvores. Aos 20, sua meta é plantar 1 trilhão

Felix Finkbeiner começou a plantar árvores quando tinha 9 anos.

Instagram