Como uma aldeia do Xingu conseguiu evitar mortes pelo coronavírus?

Como uma aldeia teve zero morte pelo novo coronavírus? O povo Kuikuro, do Xingu (MT), se preparou e, hoje, todos os índios estão vacinados. Seis meses atrás, os Kuikuro montaram um hospital de campanha, fizeram isolamento social e contrataram enfermeiros e a médica Giulia Parise Balbao. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

enfermeiros hospital campana coronavírus tribo indígena xingu
Hospital de campanha montado na aldeia para tratar doentes. Foto: arquivo pessoal

Giulia trabalhava no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, pediu demissão e foi contratada pela Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu. Lá, vivem mais de 200 índios. Todos foram infectados pela Covid-19, porém, nenhum morreu devido à doença, incluindo os anciãos.

Lideranças indígenas mostraram que não havia risco

A comunidade confiou na vacina e todos receberam a primeira dose na última semana. As lideranças foram as primeiras a se vacinar para mostrar aos demais que não havia risco. O cacique Afukaká Kuikuro e o líder Yanamá puxaram a fila – inclusive, já receberam a segunda dose do imunizante.

Uma parceria com cientistas do coletivo Amazon Hopes, formado por antropólogos, arqueólogos e outros pesquisadores, também contribuiu para a vacinação da aldeia, informando sobre a doença.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

enfermeira vacina índio contra coronavírus
Um dos líderes que foram os primeiros a se vacinar e dar o exemplo. Foto: arquivo pessoal

Desafio maior

O maior desafio não foi convencer os índios a se vacinarem, mas mantê-los em isolamento. “A gente se acostumou a comprar algumas coisas na cidade e aí foi ficando difícil pra mim. Todo mundo estava querendo ir. Aí tive que juntar todo mundo para não sair”, contou o líder Yanamá.

Isso porque as pessoas costumam sair da aldeia para buscar alimentos, combustível e anzol para pescar. No fim, o senso de comunidade – tão necessário no enfrentamento à doença – prevaleceu sobre o descontentamento de alguns.

enfermeiro vacinando índio contra coronavírus
Foto: Arquivo pessoal

Vacina negada para médica

Após dezenas de pessoas serem infectadas com Covid-19, Giulia foi receber a dose da vacina, mas o governo negou. “Saí muito triste, muito decepcionada, com a vacina negada do Distrito. Fazia 6 meses que eu estava trabalhando e eu ia voltar pra casa e colocar a minha família em risco”. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os responsáveis pela vacinação voltaram atrás na decisão, mas àquela altura a médica já estava embarcando para casa.

Fonte: G1

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,429,587SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Escolas do RJ tiram mais de 11 mil toneladas de gordura da merenda escolar

Alimentos como salsicha, batata frita e refrigerantes foram retirados da alimentação de mais de 30 mil crianças de escolas da rede pública de ensino...

MIT e C6 Bank firmam parceria para ensinar jovens a criar aplicativos em até 30 minutos

O projeto, batizado de MIT-Brazil App Inventor por C6 Bank, terá início em janeiro de 2020, quando alunos do MIT virão a São Paulo para formar os multiplicadores.

Silvio Santos copia receita de cappuccino servido no salão para poder fazer em casa

As pessoas as vezes perguntam porque gostamos tanto de falar do Silvio Santos. Mas gente, tem como não amar uma pessoa com a trajetória...

Atleta da Polônia resolve leiloar medalha que conquistou para ajudar criança com câncer

As Olimpíadas Rio 2016 estão acabando, mas não ainda há tempo de nos encantar com mais uma história digna de grande seres humanos. O polonês...

Instagram