A amizade dela salvou a amiga de uma depressão profunda

Seja aquela mulher que levanta outras mulheres! Essa é a lição que as amigas de infância Eliana Ferreira e Kátia Alves, de São Paulo (SP), nos dão hoje após mostrarem como o apoio e amor entre elas salvaram suas vidas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Numa sociedade que sempre nos ensinou que somos rivais, essa linda amizade de 45 anos veio nos mostrar que, quando somos aliadas, somos muito mais fortes.

A cada tropeço, a cada desilusão amorosa, elas estavam ali, uma pela outra. E isso não só fez a diferença, como salvou a vida de ambas, em especial de Kátia, que viveu uma depressão profunda.

“Quando me separei, ela enxugou minhas lágrimas. E sem perguntas, sem julgamentos, me acolheu. Ela sempre me apoiou e agora foi a minha vez de dar esse apoio”, contou Eliana.

amigas sentadas sofá
Eliana e Kátia contam como o apoio e amor entre elas salvaram suas vidas

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Kátia se viu no fundo do poço após o fim de um relacionamento abusivo de 10 anos. Ficou sem comer, sem beber água e até sem tomar banho. Na época, ela estava perto de se formar na faculdade em Serviço Social.

Relacionado: Noiva visita amiga internada em hospital 1 hora antes do seu casamento

“Ela me colocava lá em cima”, lembrou a amiga.

mulher sorrindo
Kátia venceu a depressão com a ajuda da amiga

“Nos fortalecemos como mulheres”

Eliana relatou que com a depressão, chegou a cair as unhas, cabelos e estourar a pele dos lábios de sua melhor amiga. Seu amor e sua amizade não deixaram Kátia se entregar à situação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu deixava meus filhos no colégio às 7h e ia para a casa dela dar banho, comida, cuidar um pouco dela, pois comigo ela aceitava algumas coisas”, afirmou Eliana.

Relacionado: Voluntária leva aulas de Yoga para mulheres da periferia de São Paulo e eleva autoestima

As amigas destacam como esse suporte entre elas as fortaleceram como mulheres e que pretendem estender a mão para outras mulheres também, já que juntas somo mais fortes!

“O maior conselho que eu daria às mulheres é uma apoiar a outra”, disse Eliana.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

amigas abraçadas
“Mulheres devem se apoiar”

Kátia superou o relacionamento abusivo e viveu novos amores. Fez faculdade e se formou em Serviço Social.

“Eu me casei novamente, tenho dois filhos, um do primeiro e um do segundo relacionamento. Temos muitos momentos felizes, sempre juntas! Não comemoro nada sem ela. A Kátia é o amor da minha vida”, disse.

Que amizade linda, não é mesmo? Confira um vídeo lindo feito pelo O Boticário com essas maravilhosas:

E você, tem alguma amiga que segurou a sua mão nos momentos mais difíceis de sua vida?

[A história da Kátia e da Eliana e tantas outras de mulheres que ajudam mulheres fazem parte de um canal especial do Razões para Acreditar e O Boticário, para mostrar que #SomosFeitasDeTodas. Acesse mais histórias como essa aqui.]

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,839,477SeguidoresSeguir
24,799SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Empresa anuncia vaga “exclusiva” para mulheres acima de 55 anos

A vaga é exclusiva para mulheres “maduras” que procuram uma recolocação no mercado de trabalho.

Jovem supera infância difícil e realiza sonho de entrar na universidade

Por Gabriel Oliveira da Silva Eu nasci em 13 de setembro de 1996. Filho único da Ana Rosa e do Manoel. Aos 3 anos de...

Garoto com câncer terminal realiza sonho de alimentar os desabrigados

Keegan Keppner tem apenas 10 anos de idade, porém, apesar de novo, já passou por muitos problemas. Ele foi diagnosticado com Glioma, uma forma...

Menina que pediu comida em troca de máscara na rua recebe ajuda de corrente solidária

"Troco uma máscara por um alimento". Esse era o pedido da pequena Ana Júlia Costa Sabino, 9 anos, que aproveitava o sinal vermelho da...

Mineiro vence preconceito, se forma em universidade americana e volta vitorioso

Após quatro anos estudando nos Estados Unidos, Alayê de Brito, 26 anos, retornou ao Brasil com o diploma do Colégio Spring Hill em mãos. Alayê...

Instagram

A amizade dela salvou a amiga de uma depressão profunda 3