Familiares coreanos se reencontram quase sete décadas depois

Separadas pela Guerra da Coreia, as famílias voltaram a se encontrar em território norte-coreano.


familiares coreanos se encontram sete décadas depois
PUBLICIDADE ANUNCIE

Familiares separados pela Guerra da Coreia (1950-53), conflito que dividiu o território coreano entre a parte sul e norte, voltaram a se encontrar na terça-feira (21) em um hotel, onde puderam conversar e lanchar a sós.

Um grupo de 89 sul-coreanos viajou na segunda-feira para a Coreia do Norte para se reunir com 185 familiares. O grupo recebeu seus entes queridos em um hotel localizado no monte Kumgang, no litoral sudeste do país, por volta das 10h na hora local (22h de segunda-feira no horário de Brasília).

Relacionado: Coreia do Norte e do Sul assinam tratado de paz e fim de armas nucleares

Quase sete décadas depois, elas lancharam nos quartos do hotel a sós pela primeira vez nos 18 anos em que as reuniões neste formato acontecem – a privacidade deixou todos mais à vontade para matar a saudade.

Lee Keum-seom, 92 anos, disse que rezou muito para que seu filho estivesse vivo. O filho dela tinha 4 anos de idade na última vez em que se viram.  “[Minha família] na Coreia do Norte não viveu muito tempo, então eu orei pela saúde do meu filho”, disse Lee para a CNN.

Ela estava ansiosa para ver o filho que hoje tem 72 anos, depois de tê-lo visto quando era apenas uma criança, sem saber muito bem por onde começar a conversar e poder recuperar uma parte do tempo em que viveram separados.

PUBLICIDADE ANUNCIE

“O que eu devo perguntar?”, pergunta ela. “Oh, eu deveria perguntar a ele o que seu pai lhe contou sobre mim. Seu pai deve ter lhe contado sobre como nos separamos e onde ficava a nossa casa. Deveria perguntar a ele sobre isso”.

Ahn Seung-chun foi à Coreia do Norte para conhecer familiares que nunca conheceu, a esposa de seu irmão e um sobrinho. Ela também pretendia reencontrar seu irmão mais velho, mas acabou descobrindo que ele tinha falecido.

Leia também: Até 2020 a Coréia do Sul irá construir uma cidade inteira que não precisa de carros

“Mas, por outro lado, eu estou feliz em conhecer o sobrinho. Pelo menos eu vou encontrar um fruto do meu pai”, conta Ahn.

A maioria dos sul-coreanos que participou dos encontros esta semana tem entre 70 e 80 anos, e a mais velha é uma senhora de 101 anos, Baik Sung-gyu, segundo dados do Ministério de Unificação de Seul.

Um segundo grupo com mais de 300 sul-coreanos viajará para a Coreia do Norte no próximo final de semana, para reencontrar 83 familiares. As duas Coreias organizaram 20 rodadas de encontros nos últimos 18 anos – 20 mil coreanos participaram.

Os encontros coincidem com momentos de reaproximação dos dois países, que tecnicamente ainda estão em guerra, já que o conflito terminou com um armistício que nunca foi substituído por um tratado de paz.

Confira o vídeo:

crédito da foto: Reprodução/Cortesia de Blue House

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar