Filho de Solimões diz: ‘Meu pai assumiu que eu era gay antes de mim’


'Meu pai assumiu que eu era gay antes de mim', diz filho de Solimões
PUBLICIDADE ANUNCIE

O cantor Gabriel Felizardo, 20 anos, filho do sertanejo Solimões, concedeu uma entrevista recentemente e relembrou momentos de sua vida, especialmente a adolescência, quando contou pela primeira vez à outra pessoa que gostava de meninos.

Gabriel, carinhosamente apelidado de “Gabeu”, também afirmou que seu pai já sabia que ele era gay antes mesmo dele se assumir. Inclusive, o sertanejo abençoou o namoro do filho, relembre aqui.

“Com 14 anos eu comecei a fazer teatro. Eu era super teatral, gostava de arte. E na cabeça do meu pai funcionava assim: ‘Ele não gosta de futebol, quer fazer teatro’… ele foi fazendo um “checklist” e meu pai fala que ele assumiu que eu era gay antes de mim. No teatro eu fiz o meu maior círculo de amizade e tinha muito gay nesse grupo, estávamos passando pelo mesmo processo e nós saímos juntos do armário, mas cada um no seu tempo”, contou Gabeu, que lançou o “pocnejo” recentemente no canal do YouTube Guardei no Armário.

[A Ana Paula é uma mulher trans e foi acolhida pela dona de um salão de beleza, após ter sido vista comendo comida do lixo. Tatiana criou uma vaquinha online para ajudar a moradora de rua a recomeçar sua vida do zero, saiba como ajudar aqui.]

Sempre animado e bem-humorado, Gabeu também relatou como foi contar para o pai que era gay, aos 16 anos. O jovem preferiu se assumir primeiro para Solimões, que havia se separado da mãe de Gabriel pouco tempo antes. “Assim, se desse algo errado não precisaria conviver com ele”. A ideia deu certo e o sertanejo apoiou o filho, mas fez uma série de perguntas.

PUBLICIDADE ANUNCIE
'Meu pai assumiu que eu era gay antes de mim', diz filho de Solimões
Foto: Reprodução/Instagram

“Foi engraçado de certa forma porque meu pai começou a fazer perguntas para mim: ‘Você tem namorado?’, ‘você gosta de se vestir de mulher?’, ‘qual a diferença entre gay e homossexual?’… e aí parece que eu comecei a dar uma aula para ele. O que eu admiro no meu pai é que muitos tratam o assunto como tabu e nem falam sobre o assunto, mas o meu chega para mim e pergunta as coisas descaradamente”, disse aos risos.

A marca Opaloka é parceira do Razões e apoia a causa LGBT, clique aqui e siga o perfil.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: iBahia

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar