Ana Marcela supera doença autoimune e conquista ouro em Tóquio em maratona aquática

Ao subir ao topo do pódio olímpico na última terça-feira, 3, a nadadora Ana Marcela Cunha deixou para trás traumas acumulados nas Olimpíadas de Londres (2012) e Rio (2016). Antes de chegar a Tóquio, enfrentou uma grave doença autoimune que a obrigou a se submeter a uma cirurgia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nada disso, no entanto, impediu que a atleta soteropolitana alcançasse um antigo sonho em sua carreira: a conquista do ouro.

Promessa olímpica aos 16 anos nos Jogos de Pequim, em 2008, Ana Marcela conquistou a quinta colocação na Ásia e despontou como um dos grandes nomes da maratona aquática brasileira.

Apesar da expectativa, Ana Marcela não conseguiu a classificação para os Jogos de Londres-2012, causando uma grande frustração em sua carreira.

Nos jogos do Rio de Janeiro, uma nova frustração. A nadador, até então uma das favoritas na competição, encerrou a maratona apenas na décima colocação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Renovada para Tóquio

Eleita seis vezes a melhor maratonista aquática do mundo, Ana Marcela chegou a Tóquio no auge de sua carreira e em busca da primeira medalha olímpica.

Em 2017, a atleta descobriu uma doença autoimune e precisou retirar o baço para evitar complicações no futuro. Recuperada, a atleta se tornou mais um símbolo de superação e, 13 anos depois de sua primeira competição, chegou ao topo do pódio em Tóquio.

Judoca Mayra Aguiar supera cirurgia no joelho e faz história ao conquistar bronze no Japão

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,780,571SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Que fofo! Aluno não envia tarefa para professora porque precisava ajudar sua porca a dar a luz

“Posso dizer que não pude mandar a tarefa porque terminando as aulas, minha ‘cuchi’ começa a dar a luz e não sei até...

Homem com obesidade mórbida perde 115 quilos e vira professor de academia

Mike Waudby, de 31 anos, emagreceu uns surpreendentes 115kg, trocando a gordura que tinha por músculos definidos e fortes. Os problemas de Mike com seu...

Homem trans faz vídeo emocionante celebrando o novo corpo: “Me sentindo livre”

O empresário Roberto Bete, 29 anos, um homem trans, designado do gênero feminino ao nascer, postou recentemente um vídeo emocionante registrando a primeira vez que...

Iniciativa transforma alimentos que iriam para o lixo em pratos de alta gastronomia

O projeto ReTaste, que tem apoio da Electrolux, na Suécia, dá um novo sentido à comida que seria desperdiçada.

Após gravidez de risco aluna da UFPA defende TCC em sua casa

Um dos momentos mais marcantes na vida de um jovem é quando ele é aprovado no vestibular e inicia esta nova fase da vida....

Instagram