Mãe, empreendedora e inconformada, ela luta por empregos para pessoas com deficiência

Andrea Schwarz é pura inspiração! Ela é a linha tênue entre uma mulher comum e uma eterna inconformada, que vive pelo propósito de construir um mundo mais inclusivo. De São Paulo para o mundo, perdeu o movimento das pernas aos 22 anos e, desde então, passou a ter a cadeira de rodas como sua parceria de vida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Hoje, com 44 anos, ela é casada com o Jaques, companheiro inseparável, e tem dois filhos lindos, o Guilherme, 14 anos, e o Léo, 12. Apesar de ter uma vida corrida, a Andrea sempre conseguiu conciliar a rotina de mãe e empreendedora com muita organização e disciplina.

“Meus filhos são a realização do meu maior sonho. Fiquei na cadeira muito jovem e na época ninguém sabia exatamente como e se era possível uma gravidez. O processo foi supernatural, porém, fiz a cesárea apenas com uma anestesia local na barriga. Ou seja, senti uma dor imensa, mas tive meus filhos acordada, uma sensação indescritível.”

Andrea Schwarz recebe beijos de seus dois filhos
Andrea com seus dois filhos, Gui e Léo. Foto: arquivo pessoal

mulher beija marido sentada cadeira de rodas
Andrea e seu marido, Jaques. Foto: arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Propósito de vida e também de trabalho

Além disso, junto com o Jaques, ela fundou a iigual, uma consultoria com mais de 20 anos, especializada na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

A empresa trabalha no desenvolvimento de programas de inclusão e em ações como recrutamento e seleção, palestras, treinamentos, consultorias e acessibilidade física e digital.

“pErcebi que o trabalho era o melhor caminho para a real inclusão, porque foi isso que me ajudou em minha própria reabilitação física, emocional e financeira.”

Andrea Schwarz vestida de noiva
Foto: arquivo pessoal

Mas seus projetos não param por aí! ‘Acessibilidade digital’ é o tema da sua nova startup, a EqualWeb, uma tecnologia capaz de transformar qualquer site em um ambiente acessível e inclusivo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Meu propósito é equalizar as oportunidades para todas as pessoas e vejo que o melhor caminho é a tecnologia e a informação, e é exatamente isso que venho fazendo ao longo dos últimos 22 anos”, explica.

Andrea, assim como muitas mulheres em cargo de liderança, quer promover a inclusão e derrubar os preconceitos ainda presentes no mundo.

Inclusão e diversidade nos dias de hoje

Segundo Andrea, certamente estamos progredindo em relação à inclusão e diversidade como um todo, e uma grande contribuição para esse avanço são as redes sociais. Por meio delas, muitas pessoas puderam se posicionar e isso trouxe maior transparência em tudo o que acontece.

“No meu Instagram, TikTok e LinkedIn, procuro mostrar que as pessoas já estão cansadas de serem (sic) rotuladas. No meu caso, não quero ser definida pela minha deficiência. Ela faz parte de mim e eu não escondo isso, mas não sou apenas isso. Basta que a sociedade seja acessível e não me trate diferente por conta da minha deficiência.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em um bate-papo exclusivo e super descontraído que tivemos com a Andrea, ela conta que, por já não ter se sentido representada em diversas ocasiões, um de seus propósitos de vida é tirar as pessoas com deficiência da invisibilidade. Confira!

“Costumo dizer que eu não ando, mas minhas asas me levam para qualquer lugar.”

Andrea usa as plataformas digitais para falar sobre sua história e seus aprendizados, além de compartilhar informações para incentivar o fim dos rótulos e dos tabus em torno das pessoas com deficiência.

Seu objetivo é transformar os conceitos sobre como as pessoas com deficiência são vistas. Se hoje ainda há olhares de pena para elas, Andrea quer que isso acabe já! É preciso olhar para os potenciais e as capacidades de cada um.

“Nesses aspectos acho sim que estamos progredindo e que a sociedade está mais atenta a isso, transformando seus antigos conceitos. Mas, obviamente, gostaria de acelerar ainda mais esse processo”, conta a empresária.

Inclusão e pandemia: como conciliar as duas coisas?

A pandemia do novo coronavírus colocou a vida de todo mundo de cabeça para baixo e com a Andrea não foi diferente. Apesar de tudo, ela encontrou muitas oportunidades durante este período. Mais uma vez, Andrea se reinventou, por completo!

Aliás, antes mesmo da pandemia, ela já havia adotado um sistema de trabalho completamente flexível, permitindo que cada pessoa da sua equipe trabalhe de sua própria casa ou de onde quiser, sem controles de horários, nem microgestão.

“Quando fiquei na cadeira, tive que reaprender a fazer as coisas comuns de forma diferente, assim como tive que superar diversos obstáculos e ser muito forte emocionalmente. Então, apliquei essa minha vivência e toda essa minha bagagem para atravessar essa fase.”

Andrea Schwarz em cadeira de rodas sorrindo
Foto: arquivo pessoal

O resultado disso foi sensacional! Ela começou a dar palestras on-line – chegando ao número de nove palestras em um único dia –, realizou processos seletivos de forma 100% digital, se envolveu na área de tecnologia e construiu comunidades fortes e engajadas nas redes sociais.

“Me tornei uma influenciadora digital, ou melhor dizendo, uma inspiradora digital. Entendi que o que eu vivo e passo se conecta com muitas pessoas. Costumo dizer que por mais diversos que somos estamos a apenas uma história de distância“, conta.

Uma mulher inspiradora

Hoje, como mulher, mãe, esposa e inspiração para milhares de pessoas, a Andrea entende que todo mundo passa por dificuldades, mas são nelas que se encontram também as melhores oportunidades.

Chega a ser impossível descrever Andrea de forma tão direta. Ela é intensa e pura inspiração! Uma pessoa maravilhosa, que vive um amor verdadeiro com o marido, os dois filhos e seu propósito como empreendedora social 👏😍

Andrea Schwarz posa para foto com cadeira de rodas
Foto: arquivo pessoal

Em poucas palavras, Andrea nos deixa sem nenhuma: “Não tenha medo de ser quem você é! Se aceite para que possa aceitar o próximo. Ninguém é perfeito, temos muitas limitações e defeitos, mas não somos apenas isso. Temos muitas qualidades e potenciais e não podemos deixar que nos definam apenas por um rótulo.”

“Eu sou muito feliz com a minha jornada e sei que esse é só o começo.”

 

Dá o play e conheça outra mulher inspiradora!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,518,910SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem faz apelo na web e desconhecidos doam US$ 84 mil para ambulante cadeirante de 94 anos

Tudo começou quando a jovem Kenia Barragan andava pelas ruas de Santa Ana, na Califórnia, e encontrou um vendedor ambulante de 94 anos em...

Universidade Federal do Paraná recebe refugiados universitários

Hora de sentir orgulho de uma iniciativa brasileira junto aos tristes acontecimentos dos refugiados. A Universidade Federal do Paraná abriu suas portas para que refugiados que...

Após filho de 3 anos danificar carro do vizinho, pais recebem a melhor resposta

Muitas vezes, geralmente sem querer, crianças estragam coisas. Quando é nosso, nós damos um jeito, mas e quando é de outra pessoa? Foi exatamente o...

Pai para dois sentidos de rodovia para garantir segurança de bicho-precuiça fazendo a travessia

Em plena BR 262, o gerente de serviços de Tecnologia da Informação, Evando Fonseca, parou os dois sentidos da via para garantir a travessia segura de um bicho-preguiça. A...

Instagram