Para apoiar filho autista, pai entra na faculdade com ele e os dois se formam em Direito! (ES)

Família é família, não é mesmo? Quando se deu conta de que o sonho do filho Lucas era ser advogado, o técnico industrial Luís Felipe Weberling decidiu entrar na faculdade e estudar junto com ele. Diagnosticado com Asperger – autismo de grau leve, esta foi uma maneira de apoiar o filho, que poderia sofrer certo preconceito. Cinco anos depois, eles acabam de se formar juntos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

pai e filho se formam 1
Foto: acervo pessoal

Pai e filho acabam de se formar na Faculdade de Direito do Espírito Santo, em Vitória. Aliás, e que vitória, né? A colação de grau irá acontecer em fevereiro de 2021 e nós já calculamos o grau de emoção que será para esta família!

pai e filho se formam 2
Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Lucas sempre sonhou em seguir a mesma profissão da mãe, que já é advogada. No entanto, junto com o sonho veio a preocupação, afinal, ele já havia sofrido um histórico de preconceito na escola em relação à sua condição. “No primeiro dia de aula, eu estava tremendo. Estava muito ansioso para saber como seriam as coisas, como lidar com isso. Era tudo muito novo para todo mundo. No início foi muito difícil”, relembra o pai.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

pai e filho se formam 3
Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Mais velho de 3 irmãos, Lucas foi diagnosticado com autismo quando tinha 12 anos. Apesar dos desafios deste percurso de 5 anos de faculdade de direito, hoje ele conclui que a presença do pai foi mais do que fundamental para esta consquista. Isto porque, mesmo com todos os tratamentos para melhorar sua coordenação motora, ele sofreu preconceito e bullying na escola, muito por conta de seus problemas de socialização.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar)

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Desta vez, no entanto, a presença do pai lhe fortaleceu. Logo no primeiro dia, quando chegou aquele momento em que todos precisam se apresentar frente aos outros, Lucas  revelou que era autista, mas que não enxergava a condição como um fator de limitação.

“A professora chamou todo mundo na frente da sala para se apresentar e eu falei o meu nome, disse que era autista, decidi fazer o curso de direito e que contava com a ajuda de todos. A gente evolui como pessoa e como sociedade através da convivência e inclusão”, desabafou”, conta o recém formado.

pai e filho se formam 4
Foto: Reprodução/ TV Gazeta

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Hoje com 23 anos e uma carreira inteira pela frente, ele se deu conta de que, com a ajuda e compreensão dos outros, não há barreiras para os autistas e pretende inspirar jovens na mesma situação que ele. “Não existe uma barreira que o autista não pode alcançar. Se ajudarem e tiverem alguém para acreditar nele, ele pode mudar o mundo. Sinceramente, eu acho que é isso que o mundo está precisando: de mais pessoas como nós”, completa. Voa alto, Lucas!

Fonte: A Gazeta

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,130,150SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Bebê faz sucesso imitando poses do tio modelo e viraliza na internet

Provavelmente o seu feed de notícias do Facebook possui muitas fotos de bebê e animais de estimação, afinal, a maioria das pessoas adora postar...

Artista transforma rabiscos da filha em quadros maravilhosos

Ruth Oosterman “desenvolve” os rabiscos da filha. Eve cria a base em um pedaço de papel usando canetas de feltro e outros materiais.

As melhores reações no Twitter sobre o Vinícius aparecer na abertura da Paralimpíadas com o vestido da Gisele

Se você não estava em Marte e acompanhou a abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, deve lembrar de uma das cenas mais marcantes da...

Pedreiro caminha até 40 Km para entregar cartões de visita feitos com folha de caderno

Sem nenhum tostão no bolso para imprimir os currículos, o pedreiro Donizete precisou improvisar os cartões de visita.

Idosos estão se mudando para pequenas casas móveis em busca de uma vida mais simples e livre

Como você gostaria de passar a sua velhice? Em alguns países, como Estados Unidos, está cada vez mais comum os idosos comprarem pequenas casas...

Instagram

Para apoiar filho autista, pai entra na faculdade com ele e os dois se formam em Direito! (ES) 2