Após infância difícil, atriz transgênero é reconhecida internacionalmente por sua luta e talento

Aos 8 anos, Laverne Cox (que não revela seu nome de batismo a ninguém) sentiu pela primeira vez o preconceito violento das pessoas. Ao descer do ônibus escolar sempre corria para casa, no Mobile, no estado sulista do Alabama. Porém, um dia, não deu tempo e uma banda de rock a alcançaram.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Laverne era um garoto, mas tinha jeito de menina e fazia balé. Os garotos espancaram-na e marcaram seu corpo com golpes de baquetas de bateria.

Vinte e dois anos depois, aos 30 anos, Laverne é eleita uma das pessoas mais influentes do mundo pela revista “Time”, por sua luta pelos direitos dos transgênero. Ainda em abril de 2015, ela reuni-se com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e sua mulher, Michelle.

laverne-cox-time-cover

“Com certas pessoas que encontro, tento me controlar, manter a postura, mas encontrar o presidente e a primeira-dama foi demais para mim”, brinca a atriz que ganhou fama como Sophia Burset, a cabeleireira e prisioneira transgênero da série “Orange is the New Black”, do Netflix.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por conta dessa personagem, Laverne se tornou a primeira transgênero indicada ao Emmy, o Oscar da TV americana, em 2014.

26397555b53938ce408204db8f1baee0

“A personagem é importante para muita gente. Em minhas viagens, encontro adolescentes que dizem que Sophia lhes salvou a vida, ajudando na transição sexual”, diz a atriz, que mora em Nova York.

Além disso tudo, ela ainda trabalha no Actor’s Studio, escola de atores que formou gente como Al Pacino e Robert De Niro. “Temos nove alunos transgênero. Eles achavam que nunca poderiam alcançar o que queriam por serem trans e negros. Meu exemplo lhes deu força.”

O CAMINHO ATÉ AQUI

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Laverne diz que sonhava ser “rica e famosa” quando criança. “Queria mostrar que eu era melhor que os valentões do colégio”, diz. “Como adulta, sei que não sou melhor que ninguém. A dor que carrego da infância não foi embora quando ganhei um programa na TV [“TRANSform Me”, de 2010]. Notei que precisava de ajuda externa.”

transform-me-040510jpg-7e874a10fb27d908_large

Foram anos de terapia até que ela entendeu seu lugar no mundo. Diz que aceitação é a palavra de sua vida e sempre desmente o título de pioneira da popularização das pessoas transgênero. “Sou cuidadosa quando alguém diz que sou o ‘marco zero’ de algo, porque Candis Cayne [a primeira atriz transgênero a atuar em uma série no horário nobre] veio antes e há várias que não podiam sair do armário”, diz a atriz.

Apesar de a primeira grande oportunidade ter vindo com “TRANSform Me”, a fama mesma veio com o seriado “Orange is the New Black” em 2013.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,282,832SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Como um movimento está promovendo a causa do voluntariado no Brasil e no mundo

Certa vez publicamos um relato da Raquel Caprara, onde ela fala de sua experiência fazendo trabalho voluntário e o quanto essa experiência transformou (e...

Pedreiro que perdeu uma perna em acidente realiza o sonho de ter sua prótese após vaquinha do Razões

O Diovane Sampaio, de 23 anos, é um jovem muito guerreiro e determinado. Ele sofreu um acidente há 8 anos, que resultou na amputação...

Bate meta da vaquinha para ajudar sem-teto e seu cachorro a saírem da rua

A vaquinha será para ajudar o Seu Sebastião e o Negão alugarem uma casa até ele voltar ao mercado de trabalho. Vaii planeta!

A emocionante reação de uma menina ao ganhar o cãozinho de estimação

Ela não queria smartphone, tablet, nada disso. Como presente de aniversário ela queria um cãozinho, simples assim. Com certeza esse pequeno animal vai ensinar-lhe...

Instagram

Após infância difícil, atriz transgênero é reconhecida internacionalmente por sua luta e talento 2