App colaborativo para comunidade autista chega a 14 estados brasileiros

Facilitar o acesso da comunidade autista a profissionais, serviços e oportunidades é o objetivo do aplicativo Rede Azul, já disponível para uso em todo país.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Idealizado por Elaine Marques — mãe de uma garota com TEA (Transtorno do Espectro Autista) que mora em Indaiatuba (SP) — o app é colaborativo, permitindo que pessoas façam e avaliem indicações já presentes no app.

Em um mês de existência, o Rede Azul já é utilizado por usuários de 14 estados brasileiros.

A motivação de Elaine Marques para desenvolver o aplicativo surgiu dos obstáculos que ela enfrenta com a filha Alícia Nicol Marques, 17 anos, diagnosticada com Síndrome de Asperger, nível leve do TEA.

App colaborativo para comunidade autista

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Desde o diagnóstico, Elaine tem dificuldades para encontrar tratamentos, medicamentos e ensino adequado para a filha. Então, pensou que, assim como ela, outras famílias deveriam passar pelos mesmos problemas, dando início à criação do app.

Leia também: Lei Romeo Mion é sancionada e dará prioridade a autistas em serviços públicos e privados

Lançado em dezembro na Google Play Store, o Rede Azul foi distribuído em etapas, começando por municípios da Região Metropolitana de Campinas, além das cidades de Salto, Itu e Elias Fausto, no interior de São Paulo.

Apesar do foco no estado de São Paulo, o app já conta com usuários de Rio de Janeiro, Minas Gerais, Acre, Alagoas, Pernambuco, Distrito Federal, Mato Grosso, entre outros. Até o momento, são mais de 640 usuários ativos.

App colaborativo para comunidade autista

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

App colaborativo

O Rede Azul é construído a partir de experiências. Assim, os usuários que frequentam locais ou utilizam serviços amigáveis à comunidade autista deixam suas indicações no app — os chamados Pontos Azuis.

App colaborativo para comunidade autista

Outras pessoas podem consultar, vivenciar e, depois, também deixar sua avaliação. Com todas essas informações, checadas por moderadores, o aplicativo calcula uma média de nota para cada indicação.

Futuramente, Elaine Marques implementará selos físicos, que serão fixados em estabelecimentos bem avaliados.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para conhecer mais sobre o projeto, siga o Rede Azul no Facebook e Instagram.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fotos: Fernando Schroeder

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,496,742SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Após perder filha em parque, pai inventa pulseira ‘radar’ inteligente

Certo dia, o empresário Willie Wu e sua filha foram a um parque de diversões para terem um momento de lazer juntos. O que...

Idosa restaura bonecas que iam para o lixo e doa para crianças carentes

Maria Fernandes tem 71 anos e todo ano ela restaura cerca de 80 bonecas, faz roupinhas, tira manchas de canecas, enfim, tudo com muito amor e depois doado para crianças carentes.

Mãe arrecada US$ 60 mil para festa de casamento do rapaz que salvou sua filha de afogamento

O jovem Kevin Cozzi nem pensou duas vezes quando viu que havia uma criança se afogando em uma praia de Monterey, na Califórnia (EUA)....

Catarinense escreve livro sobre imigração e destina lucro para famílias haitianas reencontrarem seus filhos

'O 9º Poste da rua XV de Novembro' é um romance que se passa na cidade de Joinville, Santa Catarina, mas engana-se quem pensa...

Catador de recicláveis mantém escola para crianças carentes em Olinda há 34 anos

Existem pessoas que fazem de tudo para mudar a realidade de crianças carentes que não tem acesso à escola, principalmente em regiões distantes dos...

Instagram