Arara atropelada ganha implante de bico inédito no MS

Uma arara-canindé vítima de atropelamento ganhou um implante de bico para poder se alimentar. A cirurgia aconteceu no dia 29 de fevereiro, em Campo Grande (MS).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A arara foi resgatada pela Polícia Militar Ambiental (PMA) com ferimentos graves, especialmente no bico, sendo levada às pressas para o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS).

O veterinário Lucas Cazati coordenou a equipe de cirurgia que realizou o implante.

“Ela chegou com muito sangramento e desde a sua entrada no CRAS, até a cirurgia, o trabalho se concentrou em tirá-la da situação de risco. Realizamos todo um procedimento que nos permitiu um diagnóstico favorável à cirurgia”, contou ao Instituto de Meio Ambiente do estado (Imasul).

Arara-canindé atropelada recebe implante de bico
Foto: Imasul/Divulgação

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A equipe veterinária já havia realizado pequenas cirurgias reparativas em jabutis, mas a cirurgia em uma ave foi nova – e bem mais complexa.

“Utilizamos um bico de animal já falecido, que foi recortado, ajustado com resina de dentista e fixado com parafusos ortopédicos, de forma que a arara fique bem e consiga se alimentar”, explicou Lucas.

Uma bióloga sul-mato-grossense dedicou 30 dos seus 58 anos às araras-azuis-grandes, tirando a espécie da lista de animais ameaçados de extinção.

Uma das principais características da arara-canindé (também chamada de arara-de-barriga-amarela ou arari) é seu bico forte e resistente. Elas costumam ingerir pedrinhas que auxiliam na trituração de sementes das palmeiras, parte importante de suas dietas.

Arara-canindé atropelada recebe implante de bico
Foto: Imasul/Divulgação

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O implante do bico levou 1h30, envolvendo 7 profissionais, entre veterinários, biólogos e zootecnista. Foi um sucesso! Agora, a ararinha segue sob observação médica.

[Uma reserva ambiental no Amapá precisa de apoio para não fechar as portas. Clique aqui e saiba como ajudar.]

Inicialmente, ela deve ser alimentada com alimentos mais macios, como mamão e outras frutas.

“É um período que exige cuidados, mas nosso prognóstico é de que em até 2 meses ela poderá ter condições de voltar à natureza”, disse Cazati.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Durante o Mês da Mulher, nós aqui do Razões junto com O Boticário contaremos histórias de mulheres que ajudam mulheres. Vamos falar sobre essa linda rede de apoio, para mostrar que #SomosFeitasDeTodas. Acesse as histórias aqui.

Fonte: G1

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

Relacionados

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

995,972FãsCurtir
1,932,209SeguidoresSeguir
9,453SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Magazine Luiza cria plataforma para autônomos venderem a própria mercadoria

O Magazine Luiza lançou hoje (31) o Parceiro Magalu, uma plataforma digital de vendas para ajudar micro e pequenos varejistas e profissionais autônomos a...

Magazine Luiza doa 1.000 colchões e travesseiros para moradores de rua em Belém (PA)

Desde o último sábado (21), o Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, passou a receber centenas de pessoas em situação de rua da Região Metropolitana...

Idoso de 80 anos constrói trenzinho para cães que resgatou das ruas

Um idoso de 80 anos passa seu tempo livre operando o que provavelmente pode ser o trem mais divertido do mundo! O senhor Eugene Bostick...

Pai adota 5 irmãos que viviam em abrigos diferentes para que não se separassem

Barreto diz que adotaria 10 crianças e adolescentes se tivesse condições.

Cão terapeuta conforta médicos que lutam contra coronavírus e emociona a web

Os profissionais de saúde estão na linha de frente para combater o novo coronavírus (Covid-19), ajudando no tratamento e cura dos pacientes infectados. O ambiente...

Instagram